Home > Carreira Profissional > Profissional de Arquitetura e Designer de Interiores

Profissional de Arquitetura e Designer de Interiores

O que o Arquiteto precisa saber para trabalhar com Design de Interiores?

De forma geral a profissão de arquitetura é muito abrangente e é possível escolher entre várias vertentes dentro de uma mesma profissão. Além da habilitação em projeto de arquitetura de edificações, ou seja: construir, reformar e gerenciar obras, entre outras, é atualmente também atribuição do Arquiteto produzir projetos na área da Arquitetura de Interiores da mesma forma que fazem os Designers de Interiores.

Porém um profissional de interiores não tem habilitação para reformar uma edificação caso haja necessidade de criar interversões estruturais na obra física durante uma reforma por exemplo.

O Designer de Interiores está limitado quanto a questão da arquitetura, não podendo utilizar a expressão Arquitetura de Interiores em seus meios de divulgação, somente Design de Interiores.

Os conselhos das duas áreas ainda estão em processo de definição das atribuições de cada um, o assunto é envolto em muita polêmica, mas isso é discussão para outro momento.

Existe ainda o Decorador que é o profissional que assim como o Designer de Interiores também está limitado quanto algumas atribuições.

No geral são ainda mais restritivas que o Designer de Interiores, pois devido a sua formação poder ser facultativa, ou seja, não é necessário ter cursado um curso técnico ou superior para trabalhar como Decorador, seu trabalho, segundo o site do CAU, restringe-se a escolha de móveis, acessórios como cortinas, tapetes, mobiliários, luminárias e outros elementos e estilos de decoração que complementam o interior de um apartamento como escolha de cores por exemplo.

Ocorrendo dessa forma na prática ou não, de acordo com o que determinada a lei, os Decoradores não podem trabalhar com detalhamento de mobiliário, pois isso é atribuição do Designer de Interiores (mais polêmicas).

Por agora vamos falar da habilitação em específico do Arquiteto em produzir projetos de Arquitetura de Interiores.

Diferenças entre o Arquiteto e o Designer de Interiores

Assim como o Designer de Interiores, o Arquiteto ao desenvolver um trabalho de interiores deve seguir normas técnicas de ergonomia, acústica, térmico e luminotécnica além de ser um profissional capaz de captar as reais necessidades dos clientes e concretiza-las através de projetos específicos.

Ao contrário do Designer de Interiores, o Arquiteto está habilitado também a trabalhos externos ao projeto de interiores, como alteração ou revitalização de fachadas.

O Arquiteto tem atualmente sua regulamentação pelo conselho de classe, chamado CAU: Conselho de Arquitetura e Urbanismo e seus trabalhos são acompanhados pelo Registro de Responsabilidade Técnica, a RRT onde são registrados os trabalhos a serem desenvolvidos de acordo com a atribuição do profissional.

A RRT é a segurança que o contratante tem para contratar um profissional habilitado para aquele trabalho, principalmente no que se refere a reformas de arquitetura de edificações.

Para informações mais precisas sobre as atribuições do arquiteto consulte sempre o site do CAU  http://www.caubr.gov.br , pois é nela que estarão descritos quais os serviços exatos que os arquitetos podem desenvolver.

 

O profissional da arquitetura pode trabalhar em 3 vertentes principais

A Arquitetura de Interiores

Tem como público alvo um nicho emergente ou uma classe social mais abastada mais exigente quanto as questões de ambientação e estética. Esse nicho muitas vezes é o que proporciona ao profissional aquele glamour que confere a profissão de arquitetura. Prova disso é o encantamento que o assunto causa nas revistas, eventos e mostras de arquitetura, gerando no leigo uma maior atração e simpatia pela profissão. É a área que mais traz promoção e reconhecimento profissional no meio e fora dele.

A Arquitetura de Edificações

Tem como público alvo um nicho um pouco mais abrangente que o de interiores, porém atualmente o segmento sofre algumas dificuldades em mais de uma forma, principalmente quando comparado ao arquiteto de interiores, que devido ao menor interesse despertado pelo seu trabalho enfrentam um menor reconhecimento tanto autoral como financeiro.

Geralmente os arquitetos de edificações recebem por seu trabalho porcentagens menores sobre o custo da obra do que os designers de interiores, o que tem atraído o interesse dos arquitetos pela área.

O Arquiteto Urbanista

Algumas faculdades além da formação de Arquitetura também graduam em Urbanismo. O nicho de trabalho do arquiteto urbanista encontra-se na grande maioria dentro dos órgãos públicos e universidades, atuando no estudo e desenvolvimento de projetos de bairros e cidades.

Devido à redução de carga horaria de algumas faculdades, a disciplina que aborda o tema Design de Interiores pode ser abordada de forma muito superficial, assim como a de Urbanismo e até mesmo o Paisagismo.

 

Cursos livres complementares nessas áreas ou ainda de especialidade são uma excelente alternativa para quem deseja focar em uma dessas áreas. Os cursos livres ou ainda os técnicos são um meio de orientação para aqueles que não sabem por onde começar antes de ingressar em uma pós-graduação com esse foco.

De forma geral o profissional de Arquitetura de Interiores ou Design de Interiores deve contar com um perfil mais do que criativo, possuindo também um perfil prático, proativo e de trabalho em equipe, pois o resultado final do seu trabalho conta com a participação de muitos outros profissionais como pedreiros, marceneiros, eletricistas e pintores.

Quem deseja trabalhar com Arquitetura de Interiores deve procurar desenvolver um senso crítico estético e estar sempre por dentro das tendências e novidades de mercado, pois nessa área as mudanças são muito rápidas e o profissional pode ficar por fora das tendências ou moda em pouquíssimo tempo. Portanto o estudo deve ser constante.

Além dos desenhos de arquitetura de edificações aprendidos em sala de aula é preciso que o Arquiteto aspirante a profissional de interiores aprenda as ferramentas necessárias para elaborar desenhos de arquitetura dessa natureza, vindo assim a desenvolver seus trabalhos de forma mais profissional.

Humanização de Desenhos em 2D, Programas de visualização em 3D, ou Passeios Virtuais são grandes opções de representação para a área, pois por se tratarem da expressão do resultado real do projeto, criam diferenciais atrativos que facilitam o entendimento do projeto na mesma proporção que encantam os clientes, ao mesmo tempo que a forma da apresentação tem grande peso e auxílio na venda de seu trabalho de forma mais eficiente do que apenas “rabiscos”.

 

 

Por sinal o perfil dos novos clientes também vem mudando e eles estão cada vez mais exigentes quanto a forma como os projetos vêm sendo apresentados.

Trabalhar essas formas de representação com foco em Arquitetura ou Design de Interiores, geralmente não são efetivamente ensinados em sala de aula, devido a N fatores já mencionados nesse blog em artigos anteriores. Diferente muitas vezes do que acontece dentro do curso de design de interiores, onde o aluno de design de interiores, mesmo no curso técnico, encontra uma grade curricular mais específica do que a grade curricular do arquiteto.

Na faculdade de arquitetura o foco é outro: a Arquitetura das Edificações, e cabe ao Arquiteto que tem interesse em trabalhar nessa área buscar por especialização no assunto, além do que é abordado na grade curricular da faculdade de arquitetura.

Quem tem interesse em ingressar em uma dessas áreas deve sempre acompanhar as atualizações sobre as duas carreiras para não ser acometido por surpresas desagradáveis durante o curso, situação comum que tem ocorrido com aqueles que entram na faculdade sem fazer uma pesquisa sobre a carreira antes.

E o que o aluno de arquitetura jamais deve esquecer é que, na faculdade de arquitetura, a grade curricular é muito abrangente e que nem tudo será possível se aprender em profundidade. Disciplinas mais complexas que precisam de mais tempo de abordagem não serão aprendidas com eficiência nas salas de aula.

Como disse anteriormente no início do artigo, o assunto é polêmico e não entrarei em méritos ou atribuições pontuais entre os decoradores, designers e até mesmo os arquitetos. Apesar de fazer parte da classe, entendo o ponto de vista de ambos até que os conselhos e profissionais das duas áreas se entendam, pois, ainda não entraram em entendimento sobre quem pode ou não fazer.

Eu sugiro que quem está fazendo o curso superior em Arquitetura ou já é Arquiteto formado e deseja trabalhar com Design de Interiores se especialize no assunto. Dessa forma sua formação será mais ampla, pois englobará conhecimentos de ambas áreas, o que põe de certa forma um fim prático quanto a esse imbróglio. Sem dúvidas o profissional estará além de habilitado, muito mais capacitado para desenvolver seu trabalho no dia a dia profissional.

No próximo artigo falarei mais sobre os tipos de desenhos e as ferramentas necessárias que o Arquiteto ou Designer de Interiores precisam conhecer para desenvolver um bom trabalho na área de Design de Interiores.

6 Respostas

  1. millena

    olá,eu pretendo cursar tanto arquitetura como design de interiores,mas eu tenho interesse maior em fazer primeiro design de interiores, está errado começar pelo design de interiores e depois arquitetura?

    1. Olá Millena, depende de vários fatores, eu faria arquitetura e depois uma pós em interiores, mas tem pessoas que não tem disponibilidade pra fazer arquitetura e pra já começar a trabalhar fazem um curso técnico de interiores. Não tem nada de errado nisso, ok? Grande abraço!

  2. Camila Martins

    Bom dia! existe curso de design de interiores? Faço arquitetura, mas gostaria de fazer um curso por fora, mas que não fosse uma graduação, só cursos mesmo! obgaaa

Deixe um Comentário