A importância da escala na Arquitetura – Entenda como funciona!

A escala é um dos aspectos mais importantes na arquitetura. Ela define a relação entre os elementos de um projeto arquitetônico e determina a proporção e o equilíbrio visual de um edifício.

Além disso, a escala também influencia a percepção do espaço por parte dos usuários e é fundamental para garantir a funcionalidade e a acessibilidade de um edifício.

O que é a escala em arquitetura?

A escala em arquitetura se refere à relação entre as dimensões dos elementos de um projeto e o tamanho real do edifício ou do espaço a ser construído. Isso inclui a relação entre as paredes, as janelas, as portas, os móveis e outros elementos arquitetônicos.

A escala é expressa em proporções, como 1:100, onde 1 representa a escala real do edifício e 100 representa a escala do modelo ou do desenho.

Por que é importante escolher a escala certa para um projeto arquitetônico?

A escolha da escala correta é fundamental para garantir a funcionalidade, a acessibilidade e a estética de um edifício.

Se a escala é muito pequena, os espaços podem parecer apertados e confusos, dificultando a circulação e a utilização dos ambientes. Por outro lado, se a escala é muito grande, os espaços podem parecer vazios e sem sentido, prejudicando a percepção do espaço.

———— PUBLICIDADE ————

A escala também influencia a percepção da altura e da largura dos ambientes, bem como a relação entre eles.

Por exemplo, se as paredes são muito altas em relação às janelas e às portas, os ambientes podem parecer sombrios e opressivos.

Por outro lado, se as janelas e as portas são muito grandes em relação às paredes, os ambientes podem parecer desequilibrados e sem personalidade.

Como escolher a escala certa para um projeto arquitetônico?

A escolha da escala certa depende de diversos fatores, como o uso previsto do edifício, a localização, a presença de outros edifícios na vizinhança, entre outros. É importante levar em conta tanto as necessidades funcionais quanto as estéticas do projeto ao escolher a escala correta.

É importante considerar a escala humana ao escolher a escala correta para um projeto arquitetônico. A escala humana se refere à relação entre as dimensões dos elementos arquitetônicos e a estatura média de uma pessoa.
É importante garantir que os elementos arquitetônicos, como as maçanetas das portas, as tomadas de energia e os interruptores de luz, sejam de tamanho adequado para serem facilmente acessíveis por pessoas de todas as idades e com diferentes capacidades físicas.

Outro aspecto importante a ser considerado na escolha da escala correta é o tipo de material a ser utilizado na construção.

Alguns materiais, como o vidro, o aço e o concreto, tendem a ser mais escuros e pesados visualmente, enquanto outros materiais, como a madeira e a pedra, são mais leves e claros.

———— PUBLICIDADE ————

É importante escolher a escala correta para garantir que a textura e a cor dos materiais sejam adequadas à percepção do espaço e ao equilíbrio visual do projeto.

Como a escala influencia a funcionalidade de um edifício?

A escala é um aspecto fundamental para garantir a funcionalidade de um edifício. Se a escala é inadequada, pode haver problemas de circulação, de acessibilidade e de utilização dos espaços.

Além disso, a escala inadequada também pode prejudicar a entrada e a saída de luz natural, prejudicando a iluminação e a ventilação dos ambientes.

Por isso, é importante garantir que a escala seja adequada às necessidades funcionais do projeto ao escolher a escala correta.

É preciso levar em conta a largura das portas, a altura das janelas, a presença de corredores, a localização de banheiros e cozinhas, entre outros aspectos, para garantir que a funcionalidade do edifício seja adequada.

Como utilizar a escala em projetos arquitetônicos?

A escala pode ser utilizada de diversas maneiras em projetos arquitetônicos, dependendo das necessidades e objetivos de cada projeto. Algumas dicas para utilizar a escala de maneira eficaz incluem:

  • Mantenha a proporção consistente entre os elementos arquitetônicos, como paredes, janelas, portas e móveis.
  • Use a escala para criar um equilíbrio visual entre os elementos arquitetônicos e o espaço em geral.
  • Explore diferentes escalas para criar efeitos diferentes, como espaços amplos e espaços acolhedores.
  • Considere a escala ao escolher os materiais de construção, como azulejos, revestimentos e acabamentos.

Escalas de Projetos Arquitetônicos – Entenda como funciona!

Todo aquele que se dedica ao estudo de desenho técnico, seja qual for a especialidade, deve ter amplos conhecimentos sobre escalas de projetos arquitetônicos e a prática no seu emprego.

A necessidade do emprego de escalas de projetos arquitetônicos na representação gráfica surgiu da impossibilidade de representarmos, em muitos casos, em grandeza verdadeira, certos objetos cujas dimensões não permitem o uso dos tamanhos de papel recomendados pelas Normas Técnicas.

Nesses casos empregados escalas de redução; quando necessitamos obter representações gráficas maiores que os objetos, utilizamos escalas de ampliação.

Assim, os objetos podem ser desenhados com suas dimensões ampliadas, iguais ou reduzidas.

No desenho de arquitetura geralmente só se usam escalas de redução a não ser em detalhes, onde parece algumas vezes a escala real.

Escalas de projetos arquitetônicos:

A escolha de uma escala deve ter em vista:

  • 1)      Tamanho do objeto a representar;
  • 2)      As dimensões do papel;
  • 3)      A clareza do desenho.

Cada uma dessas condições deve ser sempre respeitada, pois, tem grande peso na boa apresentação do desenho.

Cálculo de uma grandeza em escala:

Escalas gráficas

Vejamos como representar em escala uma grandeza de 20 metros.

Supomos que possuímos um papel de formado A3; isso é, 297 mm x 420 mm; sendo a maior dimensão 420 mm e tendo ainda menos 20 mm de margem, teremos somente 400 mm úteis.

Sabemos assim que podemos representar os 20 m por uma grandeza 5, 10, 20, 50 ou 100 vezes menor que a realidade, e que no nosso caso temos um limite que é a dimensão do papel.

Se a elaborássemos 10 vezes menor, teríamos 20 m representados por uma dimensão 10 vezes menor, ou seja, 2 m, o que não seria possível, pois o papel tem no máximo 400 mm ou 40 cm.

Neste exemplo a escala é redução sendo representada por uma fração ordinária própria, cujo numerador é a unidade e o dominador é o número de vezes que diminuiremos a grandeza real, isto é, 10.

Temos assim, 1:10 ou 1/10.  Lê-se escala 1 por 10.

Cada unidade de grandeza real é representada por outra dez vezes menor; 20 m serão representados por 2 m, 1 m ou 100 cm por 10 cm.

Na escala de 1:50 (1 por 50) temos 1 m ou 100 cm reduzidos 50 vezes, ou seja, 2 cm; 20 m serão, portanto 40 cm.

Estamos vendo, que, quanto maior for o dominador, menos aparecerá a grandeza representada em escala.

 A escala real é representada (1:1), onde se lê 1 por 1. 

Para evitar constantes cálculos na conversão de medidas a uma determinada escala, é conveniente o uso de escalas gráficas.

A construção de uma escala gráfica é uma coisa facílima.

Vejamos:

 A escala escolhida é 1:50, muito utilizada nos desenhos de arquitetura.

Temos:

1 m ou 100 cm representados por uma grandeza 50 vezes menor, ou seja, 2 cm.

Obtém-se este resultado com facilidade dividindo o numerador da fração pelo denominador:

100/ 50 = 0,02 m

Traça – se em seguida uma reta qualquer onde se marca um ponto 0 de origem e, a partir de 0 para a direita arca – se, de 0,02 em 0,02 m, um pequeno traço.

luc1

Cada 0,02 m vale 1 m. À esquerda da origem marcamos também 2 cm e dividimos em 10 partes iguais, ou seja, de 0,002 m.

Como 2 cm valem 1 m, dividimos o metro em dez partes iguais, cada uma dessas partes valerá 1 dm  ou 10 cm; assim, cada 2 mm valerá na escala de 1:50, 10 cm

Feita a escala gráfica, a sua utilização é intuitiva.

Por exemplo:

3,60 na escala de 1:50 são 3 divisões de escala iguais a 1 m mais 6 subdivisões da parte esquerda.

Escalas usadas em desenho arquitetônico.

O desenho de arquitetura, por sua natureza, só utiliza escalas de redução.

São as seguintes as escalas mínimas?

  • a)      1:100 para plantas;
  • b)      1:200 para coberturas;
  • c)       1:500 para plantas de situação;
  • d)      1:50 para as fechadas e cortes ou secções.
  • A indicação da escala não dispensará a indicação de cotas.

As cotas deverão ser escritas em caracteres claros e facilmente legíveis.

Réguas escalas

As réguas-escalas são de seção triangular e possuem gravadas em suas faces 6 escalas gráficas para cada caso.

escalas projetos
Réguas-escalas são de grande utilidade para o desenhista.

Devemos observar com cuidado a face da régua antes de utilizá-la a fim de que não haja troca de escalas.

Costumam ser pintadas de cores diferentes as partes indicadas pela seta a fim de que se possa identificar mais facilmente as escalas.

Nota: As réguas-escalas não devem ser usadas no lugar dos esquadros ou das réguas comuns.

Escalas no sistema inglês de medidas.

No sistema inglês de medidas devemos levar em conta o pé como unidade ( 1 feet = 1’ = 0,304 8 m) e o seu submúltiplo, a polegada (1 inch = 1’’ = 2,54 cm).

Sabemos que 1 pé tem 12 polegadas e que, a polegada por sua vez é dividida ½’’, ¼’’,  1/8’’,. ., 1/64’’.

Nos desenhos executados nos países onde é adotado o sistema inglês de medidas podemos observar que as escalas são designadas da seguinte maneira: ¼’’ = 1’’; lê –se: um quarto de polegada igual a um pé;  1/8’’ = 1.

Adotando – se o raciocínio anterior, verificamos que a medida ¼’’, na escala ¼’’ = 1’, é 48 vezes menor por conseguinte, estamos representando a medida real 48 vezes menor.

A escala equivalente em nosso sistema de medidas seria 1:48 ou 1/48, muito semelhante à escala 1:50.

Para a escala 1/8’’ = 1’’ chegamos a conclusão semelhante, racionando assim: 1 pé tem 12 polegadas e uma polegada possui 8 oitavos; por seguinte, 1 pé possui  8×12 = 96 oitavos. Logo, 1/8’’ da polegada é uma medida 96 vezes menor que o pé.

Ora, se representaremos as medidas de um objeto por outro 96 vezes menor que a realidade, estamos adotando a escala 1:96 (ou 1/96) que muito se assemelha à escala 1:100.

Nota: Existem réguas-escalas com escalas gráficas no sistema inglês de medidas. O aluno deve estudar esse sistema.

O que acima foi dito permite interpretar plantas ou livros de assuntos de desenho escritos em inglês e adotem o sistema inglês de medidas.

Nota:  Na Inglaterra já está em vigor o sistema decimal de medidas.

Conclusão

Em resumo, a escala é um aspecto fundamental na arquitetura, que influencia a percepção do espaço, a funcionalidade e a estética de um edifício.

Por isso, é importante escolher a escala correta ao projetar um edifício, levando em conta as necessidades funcionais, estéticas e humanas do projeto.

Ao fazer a escolha certa, é possível garantir que o edifício seja funcional, acessível e esteticamente agradável para seus usuários.

 

Luciana Paixão
Luciana Paixãohttps://www.aarquiteta.com.br
Luciana Paixão, arquiteta e instrutora renomada, autora do "Guia Abrangente para Aprovação de Projetos de Prefeituras", é reconhecida desde 2013 no campo da arquitetura. Destacada como Mente Influente pela Revista "Negócios da Comunicação" e premiada por seu trabalho em mídias sociais, Luciana acumula mais de 400.000 seguidores, consolidando sua posição de liderança no setor.