Quais os programas de Arquitetura que devo aprender? Confira!

Os programas de Arquitetura, Engenharia e Design de Interiores são diversos e muitos profissionais tem dificuldade de entender e selecionar qual é melhor para a sua aprendizagem.

E se você está no mundo da Arquitetura, há sempre um novo programa surgindo para lhe ajudar a passar suas ideias no computador, ou, novidades e atualizações daqueles que já existem.

Seja qual for o programa, nós possuímos vários cursos grátis pra Arquitetos, Engenheiros e Designer de Interiores em nosso portal. Seja bem vindo e estude bastante!

 

Programas de Arquitetura para Arquitetos
Programas de Arquitetura para Arquitetos

Programas de Arquitetura: Quais eu devo escolher?

Cada programa de Arquitetura possui recursos exclusivos que podem ajudá-lo a obter resultados melhores e mais rápidos.

Porém, cabe primeiramente a você entender qual é a sua real necessidade.

Você deve levar primeiramente em consideração a área na qual você pretende atuar no mercado de Arquitetura.

Segue abaixo, algumas perguntas que você deve responder:

  • Você irá trabalhar com projetos simples e rápidos onde não há necessidade de aprender um sistema mais complexo como o BIM?
  • Você vai criar projetos profissionais e gostaria de estar sintonizado com o que há de mais moderno, já no sistema BIM?
  • Você vai trabalhar como modelador 3D onde já receberá os projetos para a criação de imagens estáticas básicas?
  • Você vai trabalhar em um nicho que entrega imagens fotorealistas em 3D com grande qualidade, além da criação de vídeos do projeto?
  • Você vai trabalhar ou se especializar em um nicho onde precisará criar apresentações com interatividades como passeios virtuais ou até Realidade Aumentada?

A partir destas escolhas, comece a pensar no fluxo de trabalho que será adotado e, em seguida, quais programas se adequam ao seu orçamento e ao seu tempo que será investido em aprendê-los.

Neste artigo, vamos mostrar uma visão geral destes programas, elencando por categoria, conforme o infográfico que criamos, destacando tanto aqueles programas já tradicionais para a área de Arquitetura, como em novidades e diferenciais que poderão fazer toda a diferença no fechamento de um negócio ou na melhor explicação de um projeto Arquitetônico.

Vale lembrar que, antes de adquirir qualquer um destes programas, você deve verificar os requisitos do sistema para cada um deles. Abaixo as categorias:

 

1.  Programas de Arquitetura no sistema CAD

Projeto realizado em um programa CAD

Pioneiro em arquitetura e mundialmente conhecido, o AutoCAD, se mantém em atividade até os dias de hoje. Ainda muito usado para desenhos 2D rápidos, principalmente para detalhamento em marcenaria ou Design de Interiores.

Possui programas de Arquitetura concorrentes fortes como o ZwCAD e o BricsCAD.

Ambos, além de possuir interface semelhante a do AutoCAD, aceitam vários comandos conhecidos do AutoCAD.

Há muito para experimentar com o AutoCAD 2021.

O novo recurso de Histórico do Desenho pode ser uma virada de jogo para o seu fluxo de trabalho, dando a você uma visão sobre a evolução dos seus desenhos.

Agora, você pode usar o popular recurso “DWG Compare” para referências externas (Xrefs) anexadas ao seu desenho.

O desempenho gráfico é ainda mais aprimorado e você pode ficar conectado ao conteúdo do seu bloco a qualquer hora, em qualquer lugar.

Atualmente o AutoCAD é adquirido apenas por assinatura.

Já seus concorrentes, além de mais baratos, possuem licença vitalícia.

Vale a pena checar o custo-benefício.

Curva de Aprendizado  (Tempo vs Proficiência)

Tela do AutoCAD 2021

Quem já possui noções de geometria, plano cartesiano e desenho técnico, não terá dificuldades em entender o AutoCAD.

Para quem desenvolve projetos de pequeno porte, a curva é “média”, pois em pouco tempo você já consegue aprender o básico para realizar um projeto pequeno ou médio.

Inclusive, a versão AutoCAD LT atende a grande maioria dos profissionais que precisam criar apenas um desenho 2D.

Já para quem trabalha com projetos complexos ou de grande porte, a curva de aprendizado é “demorada”, pois requer tempo para dominar comandos específicos, configurações avançadas, de plotagem por exemplo, dentre outras.

 

2. Programas de Arquitetura no sistema BIM

Programa ARCHICAD que utiliza o sistema BIM

A categoria mais requisitada em entrevistas para o mercado de Arquitetura é obviamente a do BIM (Building Information Modeling – Modelagem de Informações da Construção). Principal ferramenta para arquitetos contemporâneos, hoje praticamente é uma obrigação ter habilidade com programas BIM.

Existem basicamente três programas de Arquitetura principais que falaremos aqui:

O ARCHICAD, que é muito intuitivo de usar, o qual você pode ir bem fácil de um modelo 3D simples a um modelo muito detalhado, com todas as informações da documentação nele. É feito especificamente para Arquitetos.

Ele oferece um conjunto de ferramentas para projeto e engenharia de edifícios e, é capaz de ver um projeto através da engenharia e do design visual dos interiores, exteriores e espaços circundantes do edifício.

Temos também o REVIT que é o mais utilizado no mundo e tem as melhores conexões com outros projetos como MEP Elétrica por exemplo.

Ele é o software de modelagem de informações de construção 4D da Autodesk. Esta poderosa ferramenta usa um processo baseado em modelo inteligente para ajudar a planejar todos os aspectos de um projeto de construção, desde o projeto até a construção e além.

Seu escopo é vasto e sua caixa de ferramentas é profunda – ele também atende engenheiros, construtores, gerentes de projeto e muito mais.

Ainda há um outro, Vectorworks, pouco falado aqui no Brasil, que dos três, tem ferramentas interessantes para criar o desenho 2D a partir do 3D, embora a modelagem 3D pareça um pouco confusa, que é uma comparação muito curta e superficial. Então, focaremos nos dois primeiros.

Tela do programa Vectorworks

Minha dica sobre programas BIM:

Não basta fazer a escolha do programa com base no software mais usado em todo o mundo, pensando que você terá mais chances de conseguir um trabalho.

Se as empresas onde você vive adotaram o Revit, então você deverá se adequar a essa premissa. Mas se você é um empreendedor, tem seu escritório de arquitetura, talvez você possa adotar o ARCHICAD, por exemplo.

Importante lembrar que no mercado de arquitetura, em um empreendimento, na maioria das vezes, várias empresas estão envolvidas no projeto e responsáveis pelas suas disciplinas. Arquivos são compartilhados em rede. Logo, você deve saber qual o software BIM é o adotado pela empresa gerenciadora dos projetos.

Confira também:  Faculdade de Arquitetura -10 passos para descobrir se o curso é pra você!

Por exemplo: Caso você tenha um arquivo gerado no Revit e precise abri-lo no ArchiCAD, ou vice-versa, você vai precisar exportar para um formato “neutro”, que possibilita a troca de informações entre diferentes sistemas CAD e BIM. Esse formato chama-se IFC (Industry Foundation Classes) e estabelece padrões internacionais para importar e exportar objetos de construção e suas propriedades.

Curva de Aprendizado (Tempo vs Proficiência)

Tanto o Archicad quanto o Revit trabalham com modelagens arquitetônicas em visualização 2D e 3D para elaboração de projetos e detalhamento.

Continuamente ambos são softwares BIM (Building Information Model) que significa Modelo de Informação da Construção e/ou Modelagem de Informação da Construção. Que consiste basicamente em um conjunto de informações geradas e mantidas durante todo o ciclo de vida de um edifício.

O Revit, por ser da Autodesk (o mesmo fabricante do AutoCAD) a interface é mais próxima e possui maior procura aqui no Brasil.

Ambos os softwares utilizam plugins para renderização. É importante você saber, pois alguns clientes esperam receber imagem ou vídeo fotorealista, para pré-visualizar o projeto. Ainda é possível criar tour virtual a partir de arquivo BIM.

Ah! Não esqueça de checar se os renderizadores abaixo usam processador (CPU) ou placa de vídeo (GPU) para o bake. Confira:

ARCHICAD: Enscape, Lumion, Twinmotion, D5 Render e Unreal Engine.
Revit: V-Ray, Enscape, Lumion, Twinmotion, D5 Render, Shapespark, Unity e Unreal Engine
Vectorworks: Lumion

Esta perdido sobre o que é BIM?

Nesta série de vídeos abaixo, mostramos com detalhes sobre O que é BIM e como fazer a migração do CAD ao BIM para quem é usuário de CAD:

 

3. Programas de Arquitetura para modelagem 3D

Tela do programa Sketchup com um projeto completo.

Modelagem 3D para arquitetura, ou simplesmente 3D, é a arte de dar volume as plantas baixas. O modelo 3D pode ser criado a partir de um arquivo CAD ou diretamente no software de modelagem 3D.

Existem vários programas de Arquitetura de modelagem 3D, cada um com recursos exclusivos. Alguns muito utilizados para outras áreas, como a área de criação de produtos ou personagem 3D.

3ds Max, SketchUp, Cinema 4D, Blender, Rhino e até o Modo, são os principais que mostramos aqui e, já que o foco é Arquitetura, vamos filtrar e focar apenas no 3ds Max e SketchUp.

Sinalizando que o Blender e o Rhino também são muito importantes para a Arquitetura, já que renderizadores como o V-Ray e o D5 Render oferecem plugins para workflow com eles.

O mais completo software de modelagem 3D com certeza é o 3ds Max. Quem não tem experiência em modelagem 3D e tem um primeiro contato com ele, geralmente acha ele complexo.

3DsMAX com o plugin V-Ray

Porém, ele concentra inúmeros recursos nativos, sem necessidade de vários plugins, destacando-se o mapeamento UV, a otimização de malha poligonal (retopologia) e animação de objetos para exportação de arquivos FBX animados que podem ser usados em projetos específicos.

Ele também possui um renderizador nativo: o Mental Ray, e o ARNOLD, permitindo ao usuário já apresentar alguma imagem do projeto com fotorrealismo.

Longe de ser cheio de recursos como o 3ds Max, o “Sketch” – como é popularmente chamado – depende de plugins para ampliar os seus recursos, para que sejam mais avançados e específicos. Talvez por isso seja “esnobado” por alguns experientes profissionais de Arquitetura.

Mas, devido a sua simplicidade para modelagem 3D pura e uma representação 3D básica, é o mais usado entre os profissionais de Arquitetura e Engenharia.

A versão 2021 do SketchUp traz 3 ferramentas interessantes para o arquiteto:

  • PreDesign, que puxa dados meteorológicos específicos do local, conectando os pontos entre o clima e o tipo de construção, sugerindo respostas arquitetônicas apropriadas;
  • Gerenciamento de Tags, que permite a você organizar o projeto por “tags” para acesso mais rápido e controle de visibilidade em massa;
  • Live Components, que fornece objetos programados com lógica de modelagem que controla sua geometria e se que redesenham em tempo real.

O SketchUp infelizmente não possui um renderizador nativo, você só alcança fotorrealismo nele através de plugins, que veremos mais adiante.

No entanto, com ele você consegue criar vistas e cortes rápidos, com visual agradável, para concepção de uma ideia, um croqui ou mesmo um anteprojeto básico.

Curva de Aprendizado (Tempo vs Proficiência)

O 3ds Max também possui uma curva de aprendizado “demorada”, assim como o Revit (também da Autodesk). O “Max”, como é popularmente chamado, também possui uma interface não intuitiva, fazendo com que o software pareça “quadrado”.

Você leva algum tempo até se acostumar a encontrar rapidamente os comandos, menus e ferramentas. Logo, vai precisar dedicar tempo ao estudo para dominar o software e conseguir entregar projetos de forma rápida com ele.

Já o SketchUp possui uma curva de aprendizado “rápida”. Com uma interface amigável e intuitiva, em pouco tempo você já consegue criar projetos 3D simples.

Ele possui uma organização mais clara dos comandos, menus e ferramentas, fazendo com que o profissional produza mais em menos tempo.

Ambos os softwares utilizam plugins para renderização, tanto a renderização via processador (ou CPU) quanto via placa de vídeo (ou GPU).

É importante definir se vai utilizar um renderizador apenas para criar imagens fotorealistas, até panorâmicas, ou se vai precisar de um renderizador real time, para renderizar vídeos e animações.

Falaremos mais adiante sobre os renderizadores; enquanto isso, veja abaixo os plugins que os modeladores 3D aceitam:

3ds Max: V-Ray, Corona Renderer, Enscape, D5 Render e Unreal Engine.
SketchUp: V-Ray, Enscape, Lumion, Twinmotion, D5 Render, Shapespark e Unreal Engine.
Cinema 4D: V-Ray, Corona Renderer e Unreal Engine.
Blender: V-Ray, D5 Render e Unreal Engine.
Rhino: V-Ray, Lumion, Twinmotion, D5 Render e Unreal Engine.
Modo: V-Ray

 

4.Programas de Arquitetura para renderização em processador (CPU)

Em Arquitetura, entende-se por renderização o processo de conversão da modelagem 3D em representação fotoreaslista (com qualidade fotográfica) 2D, podendo essa representação ser uma imagem ou vídeo.

Esse processo de conversão basicamente reúne todas as informações de materiais e iluminação dispostas no modelo 3D e gera um cálculo de iluminação final, com as sombras e os comportamentos dos materiais.

Esse resultado é popularmente chamado de “render”.

A qualidade final do render está ligada não apenas a boa setagem da iluminação da sua cena, mas também à qualidade das texturas aplicadas durante a modelagem 3D.

As texturas ou mapas, compõem o que chamamos de materiais PBR (Physically based rendering – Renderização Baseada Fisicamente) e vão determinar se as superfícies representarão com fidelidade os materiais encontrados aqui no mundo real.

Vamos falar sobre os dois programas de Arquitetura mais usados em visualização arquitetônica no modo CPU, ou seja, onde estes cálculos são predominantemente realizados pelo processador do seu computador: V-Ray e Corona Renderer.

Eles são iguais em três pontos: pertencem a empresa Chaos Group; utilizam o processador (CPU) para processamento dos seus renderes; são utilizados principalmente para criação de imagens fotorealistas.

V-Ray

V-Ray sendo usado no Sketchup

O V-Ray é provavelmente o líder do mercado em criação de imagens estáticas fotorealistas. Ele produz imagens com qualidade fotográfica e é também conhecido por sua versatilidade, já que roda em computadores com diversas configurações de hardware.

Confira também:  Por que você deve aprender a renderizar? Conheça nossos cursos de V-Ray!

Claro que hardwares distintos resultam em desempenho e velocidade distintos, mas usuários iniciantes e com pouco recurso de hardware já conseguem gerar imagens belíssimas com o V-Ray. Principalmente V-Ray para SketchUp.

Provavelmente ele é tão famoso devido a variedade de plugins para os mais vários modeladores 3D, como o SketchUp, 3ds Max, Cinema 4D, Blender, Rhino e Modo

Curva de Aprendizado (Tempo vs Proficiência)

O V-Ray possui uma curva de aprendizado “rápida” para usuários SketchUp e uma curva “médio-demorada” para usuários 3ds Max. Em ambos os casos, o V-Ray tem a mesma “cara” do seu modelador 3D.

Essa relação do renderizador com o modelador 3D é determinante e ao mesmo tempo variável, pois se você já domina o 3ds Max, provavelmente não terá dificuldades em aprender o V-Ray para 3ds Max.

Mas, em geral, a grande maioria que utiliza o SketchUp por sua simplicidade, em pouco tempo já entrega renderes com o  V-Ray.

Corona Renderer

Conhecido pela qualidade ultrarrealista, um render feito no Corona é sem dúvida o que mais se aproxima de uma fotografia.

O Corona possui plugin apenas para o 3ds Max e o Cinema 4D e, talvez por isso seja menos usado se comparado ao V-Ray.

Dentre as vantagens podemos destacar que é fácil de usar e permite resultados muito realísticos, além de ser rápido com um feedback imediato. Mesmo para cenas complicadas com reflexos, sombras difusas e grande quantidade de vegetação.

 

5. Programas de Arquitetura que renderizam em tempo real (GPU)

Os renderizadors baseado em GPU, ou seja, que usam o processamento na placa de vídeo, são sem dúvidas, o melhor custo e benefício quando se trata de qualidade vs tempo de renderização.

Existem no mercado também otimos programas de Arquitetura que utilizam esta tecnologia.

Além disso, possui um diferencial crucial: por renderizar praticamente em tempo real, podemos verificar os acertos e ajustes de iluminação e texturas com maior rapidez, ganhando assim tempo no fluxo de trabalho.

Outra vantagem é a possibilidade de criar vídeos renderizados com mais facilidade e rapidez. Outro ponto: a maioria possui objetos animados já prontos para inserir no projeto, como pessoas andando, vegetação com movimento pelo vento, dentre outros.

Se hoje, tivesse que relatar alguma desvantagem frente aos renderizadores via CPU é a questão da qualidade final que, em alguns programas ficam em torno de 30% menos reais, o que em 90% dos casos não é um grande problema, a não ser que precise gerar renderes por exemplo, para venda de empreendimentos residenciais ou comerciais.

A maioria do programas abaixo possuem suporte a realidade virtual para que o usuário possa passear dentro dos projetos usando ou não o óculos de realidade virtual.

Outra desvantagem seria o investimento de uma placa de vídeo. Mas agora em 2021, posso afirmar que uma placa de vídeo GFORCE 1060 para cima atende praticamente todos os programas.

Durante a abordagem dos programas, falaremos também das curvas de aprendizado. Segue abaixo, os principais programas via GPU:

Lumion

O Lumion é um dos mais antigos renderizadores GPU do mercado e a partir da versao 8, teve um upgrade geral de qualidade de imagem.

É o mais popular de todos atualmente e possui qualidade de imagem e vídeo impressionantes.

No entanto, não roda em qualquer computador. Você vai precisar no mínimo de uma placa de vídeo de 3GB e memória de 16GB, dentre outros fatores.

Possui uma curva de aprendizado “rápida”, já que a interface é amigável e simples. Particularmente, acho o Lumion muito indicado para imagens e animações de cenas externas. Em pouco tempo é possível criar cenas externas ótimas.

Já para interiores e imagens panorâmicas, não é tão rápido encontrar a “receita de bolo” para entregar fotorrealismo com qualidade de foto. Neste caso, curva de aprendizado “médio-demorada”.

Sua grande desvantagem é o valor, muito caro para os padrões Brasileiros.

Twinmotion

Esta empresa, adquirida pela EPIC GAMES, proprietária da UNREAL ENGINE teve um grande destaque no mercado em 2020, apesar de já existir há algum tempo.

Suas vantagens é a facilidade de uso, pois tem uma curva de aprendizado “rápida”, e a sua versão estudantil é completa, não expira em 30 dias como acontece com o Lumion.

O Twinmotion ainda não entrega uma qualidade como os irmãos Lumion, Enscape ou D5 Render, mas vem apresentando intensas melhorias com seus updates.

Outra vantagem é o sistema de passeio virtual interativo dos seus projetos, uma vez que o programa possui um sistema que permite exportar um arquivo executável o qual, pode ser enviado para seu cliente, sem que o mesmo tenha a necessidade de possuir o programa instalado. E com isso, pode passear dentro de todo o seu projeto Arquitetônico.

Ainda outra novidade: já está em fase de testes um recurso ou versão de exportação de projeto do Twinmotion diretamente para a Unreal Engine, via datasmith. Também com o objetivo de criar passeios interativos personalizados.

Estas duas novidades fazem do Twinmotion um programa que, além de ser renderizador real-time, também cria tour virtual (categoria 6).

Enscape

O Enscape entrega uma boa qualidade de imagens e existem duas vantagens que destaco nele:

A primeira é a sua integração mais raiz com os programas, usando por exemplo, o SketchUp lado a lado com ele. Outros programas fazem isso através de um plugin, mas o Enscape é o plugin, ou seja, a sua integração dento do programa é mais eficiente.

Outra vantagem é a rapidez para configurar materiais pré-prontos em sua cena. Se na sua cena SketchUp já tenha algum material como “glass” por exemplo, ele já entende lá na hora do render que o material é um vidro e já substitui, assim como diversos outros materiais. Curva de aprendizado “rápida”.

Seu valor é mais acessível, porém sua versão trial é válida apenas por 15 dias e, não tem versão vitalícia estudantil, como o Twinmotion.

D5 Render

O D5 Render apareceu com tudo em 2020 e acredito que perde apenas para a UNREAL quando o assunto é fotorrealismo.

Ele foi projetado para uso em computadores com placas de vídeo RTX e, da categoria “Render Real Time”, é o único que utiliza a tecnologia Ray Tracing (RT), junto com o novo programa Chaos Vantage, que veremos logo depois.

No quesito qualidade, por enquanto, o D5 Render e o Lumion estão no topo, (mesmo o Lumion não utilizando Ray Tracing). Ambos com velocidade na exportação de imagens e vídeos incríveis, inclusive em altas resoluções, como 4k e 8k.

Ambos possuem curva de aprendizado “rápida”. Interfaces amigáveis. O D5 Render tem uma setagem mais fiel e fácil de memorizar, para outras cenas.

O grande diferencial do D5 Render, e que para mim coloca o D5 Render na frente, sem dúvidas, é a qualidade nos renderes de interiores. São de tirar o fôlego. Se compararmos com renderizadores CPU, é o que mais se aproxima da qualidade de fotografia como o Corona Renderer e V-Ray. Talvez pela tecnologia Ray Tracing.

Confira também:  Armazém 3D SketchUP: Como baixar objetos? Confira!

Outra vantagem é o valor, muito mais acessível se comparado ao Lumion (grande diferença), em sua versão paga. Sua versão trial, possui algumas limitações (não exporta vídeo e possui menos assets 3D), mas ela é 100% utilizável. Possui também versão estudante.

Uma desvantagem: o acesso a biblioteca de assets 3D nativos para inserção nas cenas não é tão rápido e fluido. Precisa estar online para usar. Mas parece que estão tentando melhorar isso.

O D5 Render está prestes a lançar sua versão 1.8, que já virá com a possibilidade de inserir partículas no projeto, como fogo, fumaça, dentre outros. Agora imagine quando chegar na versão 2.0?

Chaos Vantage

É um novo renderizador, real time, stand-alone, com o mesmo sistema do V-Ray e com a tecnologia Ray Tracing. Ideal para animações e cenas complexas.

Desvantagem: Você precisa ter o arquivo V-Ray já configurado em outro programa (3dds Max ou SketchUp).

Segundo a Chaos, basta arrastar uma cena V-Ray completa para o Vantage e começar a explorar. Também possui um link direto para 3ds Max, assim você pode usá-lo como se fosse uma nova viewport.

Diferente de outras soluções real-time, não é necessário otimizar geometrias, abrir malhas UV ou fazer bake de iluminação.

Foi criado para lidar com cenas enormes, com bilhões de polígonos. É o jeito mais rápido de visualizar suas mais detalhadas cenas V-Ray em tempo real.

Não falaremos sobre a curva de aprendizado pois é um software novo.

 

6.Programas para criação de Realidade Virtual

Tour Virtual ou Passeio Virtual é um recurso que vem sendo muito requisitado por clientes em visualização arquitetônica. Muitas vezes o cliente final quer “andar” pelo projeto.

Em outras, o cliente também quer interagir, mudando materiais e etc. O tour pode ser online ou offline.

Quando o assunto é Tour Virtual, existem também bons programas de Arquitetura,em primeiro lugar deve-se definir qual será a plataforma de visualização deste passeio: web, android, windows?

Falaremos sobre os principais ou os que mais temos conhecimento no momento: o Shapespark (online) e a Unreal Engine (offline) que também tem a finalidade de ser bons programas para Arquitetura.

Unreal Engine

Além da incrível qualidade fotorealista dos projetos, a Unreal é um dos programas de Arquitetura que na verdade serve principalmente para a criação de jogos.

A sua vantagem principal é a capacidade de criação de diversas possibilidades de interatividades que você possa precisar inserir em algum projeto específico, pois, uma vez que a UNREAL é um programa para desenvolvimento de jogos, você possui através de programação (blueprints), infinitas possibilidades para a criação e solução de ideias pensadas em Arquitetura.

A desvantagem é a curva de aprendizado ser “demorada”. Você vai precisar dedicar muito tempo para aprender e se sentir seguro para entregar projetos feitos na Unreal.

O Tour Virtual aqui, geralmente, é um arquivo .EXE para rodar na plataforma Windows. Mas também é possível gerar arquivo .APK para rodar em dispositivos móveis como tablets e smartphones na plataforma Android. Estes são os mais práticos. Há quem use um recurso para rodar tour virtual de maneira online, chamado Pixel Streaming, mas requer um computador dedicado só para isso e um servidor como o Amazon AWS. Neste caso, a Unreal Engine está sendo usada para gerar tour online.

Shapespark

Se a sua necessidade passa para o sistema online, ou seja, seu “sonho” é enviar o seu projeto modelado e renderizado para o seu cliente passear usando apenas um simples LINK ONLINE então não existe no mercado nada melhor do que o Shapespark.

Apesar da qualidade fotorealista, mesmo ótima, não ser comparada a do D5render, ele entrega uma interatividade online, além das imagens como ninguém…Ah! Curva de aprendizado “rápida”!

Possui plugin para workflow direto com Revit e SketchUp, mas aceita outros formatos 3D, como FBX, DAE e OBJ para utilização com a maioria dos modeladores 3D.

Lançou recentemente um recurso: meetings. Agora você pode criar “reuniões” ou “encontros” virtuais com webcam DENTRO do seu projeto modelado em 3D. Tudo ONLINE, possibilitando mostrar o andamento do projeto até a sua finalização. Veja o vídeo abaixo:

 

7.Programas para Realidade Aumentada

Se existe algo que é um grande diferencial em questões tecnológicas, é o sistema de Realidade Aumentada para Arquitetura.

Nesta imagem de exemplo acima, por exemplo, observamos uma cadeira aberta em tamanho natural em um ambiente real e este botão abaixo dela, é uma interatividade que excuta o carregamento de outros acabamentos ou até de outras poltronas no ambiente.

Entendeu? E isto é apenas UMA de uma série de soluções onde a tecnologia de realidade Aumentada pode proporcionar.

Inclusive até passear dentro de um Projeto Arquitetônico inteiro. Quer apostar? veja então o vídeo abaixo:

Para entender e experimentar melhor esta tecnologia, sugiro instalar o aplicativo ARMEDIA e realizar alguns testes.

Em breve, nosso portal terá um curso dedicado a este sistema. Fiquem ligados!

 

8.Programas para pós produção de imagens e vídeos

Assim como o Photoshop é amplamente usado para trabalhar pós produções diversas nas imagens 3Ds, com o advento dos renderizadores via GPUs, gerar vídeos dos projetos se tornou mais fácil e rápido.

Com isso, o uso de programas para edição e pós produção em vídeo vem aumentando.

Em relação a custo x benefício o programa que sugiro usar e aprender é o FILMORA.

No vídeo abaixo, mostro como que podemos melhorar drasticamente a apresentação de um render em vídeo, em questão de minutos:

 

DICA:

Não esqueça de verificar, além dos requisitos mínimos de hardware, em qual sistema operacional os seus programas vão rodar.

Se você já utiliza sistema MacOS, você pode virtualizar o sistema Windows no seu Mac, através do Parallels ou Bootcamp, para rodar programas que só rodam no Windows. Com o recurso Bootcamp você pode determinar o espaço de armazenamento adotado para MacOS e para Windows.

Por exemplo, posso deixar mais espaço para o Windows (CAD, BIM, modeladores 3D e renderizadores) e deixar menos espaço para o MacOs (pós-produção). Para navegar entre os sistemas operacionais é necessário reiniciar o computador, segurar a tecla “alt”, para escolher qual sistema operacional vai rodar. Já com o recurso Parallels, basta arrastar para o lado.

Mimos da AArquiteta para você!

Em meu portal de treinamento on-line separei para você vários dos meus cursos gratuitos para quem quer aprender a decorar ou até usar programas para criar seus projetos, seja de interiores, de edificações, e-books e muito mais.

Basta clicar neste link e começar a estudar.

Além disso, eu gostaria de conhecer mais sobre você.

Você é um entusiasta decorador, ou até um profissional de Arquitetura? Clique aqui, responda estas poucas perguntas e ganhe um presente meu que adorará  muito! ?? 

Espero que o post tenha lhe ajudado a entender e a escolher a sua cadeira!

Ah! Não esqueça de pegar seu conteúdo gratuito.

Até!

 

Avalie post