Home > Mundo Arquitetura > Inhotim: arte contemporânea, arquitetura e conexão com a natureza

Inhotim: arte contemporânea, arquitetura e conexão com a natureza

/
04 dez 2018
//
Inhotim

Quem se aventura pela terra do pão de queijo não pode deixar de fora do roteiro um passeio pelo belo e famoso Inhotim. O lugar é sede de um dos acervos mais importantes de arte contemporânea do Brasil e também é o maior centro de arte ao ar livre da América Latina. Em Inhotim, a arte e a arquitetura misturam-se com a natureza, criando uma conexão e uma harmonia indescritíveis.

Inhotim

Imagem: catracalivre.com.br

+ O que é o Inhotim

O Instituto Inhotim é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). Ele foi idealizado por Bernardo de Mello Paz, empresário mineiro, na década de 1980. Aos poucos, o lugar foi se tornando um acervo de arte contemporânea e também uma coleção biológica, com espécies raras do mundo todo.

Inhotim

Imagem: carpemundi.com.br

Embora muitos acreditem que Inhotim fica em Belo Horizonte, a verdade é que ele se localiza no município de Brumadinho, que faz parte da região metropolitana da capital mineira. A viagem não é longa e compensa o passeio.

Em 2002, foi fundado o Instituto Cultural Inhotim, sem fins lucrativos, voltado para a conservação, exposição e produção de trabalhos contemporâneos de arte e com ações educativas e sociais. As visitas pré-agendadas começaram em 2005 e, em 2006, foi aberto ao grande público. O reconhecimento como uma OSCIP, dado pelo Governo de Minas Gerais, aconteceu em 2008. No ano seguinte, recebeu o mesmo reconhecimento do Governo Federal.

O Inhotim recebeu o título de Jardim Botânico em 2010, pela Comissão Nacional de Jardins Botânicos. O marco de 2 milhões de visitantes ocorreu em 2015.

Reza a lenda que o local era uma mineradora e o responsável chamava-se Timothy. O “Senhor Tim” virou “Nhô Tim” e, daí, foi um pulo para o mineirês dar origem ao “Inhotim”.

Inhotim

Imagem: istoe.com.br

Jardim Botânico

Ao longo do Inhotim, há vários jardins para contemplação. Com um paisagismo singular, cada um deles explora a estética que a coleção botânica oferece. Além de ser um local de contemplação incrível, os jardins também são usados para estudos da flora, catalogação de novas espécies, conservação e ações de educação ambiental.

A coleção botânica é grande e com uma diversidade incrível. São aproximadamente 5.000 espécies de plantas. No site do Instituto, é possível encontrar as dicas para os destaques botânicos, que são as plantas que merecem ser conhecidas na visita. A lista inclui ipês, pau-brasil, palmeiras e outros. Há, ainda, plantas carnívoras, orquídeas, plantas medicinais, aromáticas, aquáticas e outras. Uma planta que chama atenção é a flor-cadáver. Nativa da Indonésia, ela floresceu em 2010 e 2012 e liberou seu excêntrico odor de podridão, atraindo vários turistas. Isso só acontece, em média, três vezes durante o tempo de vida da planta.

No quesito paisagismo, os jardins botânicos do Inhotim possuem padrões estéticos com o objetivo de sensibilizar sobre a importância da biodiversidade. Não há um estilo único e vários paisagistas já contribuíram para construir os ambientes, incluindo Pedro Nehring e Luiz Carlos Orsini.

Inhotim

Imagem: inhotim.org.br

Há, ainda, um viveiro educador. Lá são realizadas atividades como manutenção do acervo botânico, pesquisa, conservação e educação ambiental. Há 4 ambientes: trilha dos Guigós, Jardim dos Sentidos, a Estufa Equatorial e o Bosque da Juçara. Cada um possui peculiaridades que oferece ao visitante um passeio harmonioso e incrível.

Arte contemporânea

Espalhados pela enorme área do Instituto Inhotim, há vários pavilhões e galerias que oferecem experiências diversas. O intuito é o de reflexão sobre as questões contemporâneas.

Há várias obras e galerias que são permanentes. No site do Instituto, é possível escolher pelo artista e/ou pelo ano ou escolher de modo geral. Um dos locais mais famosos (e que pode ter uma fila enorme para visitar) é a obra Desvio para o vermelho: Impregnação, Entorno, Desvio. Ela é do artista Cildo Meireles e consiste em três ambientes (Impregnação, Entorno e Desvio) decorados com objetos vermelhos com um imenso significado e interpretação sensorial (sem spoilers, você precisa visitar o ambiente para tirar suas próprias conclusões).

Inhotim

Imagem: viajantecomum.com

Explorando o Inhotim

No Inhotim, é preciso liberar o corpo e a mente para sentir as experiências que são oferecidas. Caminhar ao longo de uma trilha, em contato com a natureza, descobrindo as galerias e experimentando as diferentes sensações, proporciona uma visita incrível.

Se você planeja visitar todo o lugar em um dia, pode tirar o cavalinho da chuva. O percurso é praticamente impossível e não resultaria na experiência que o local oferece. A dica é: consulte o mapa (que é distribuído na recepção e também está no site) as trilhas que pretende seguir antes de começar. Caso contrário, a não ser que você alugue um carrinho, será um trabalho enorme visitar ambientes que são muito distantes. Também vale checar a programação, que muda.

Inhotim

Imagem: nacoesunidas.org

Outra dica valiosa é: prepare a câmera. Para quem gosta de capturar momentos únicos e harmoniosos, o Inhotim é o ambiente perfeito. Há, ainda, restaurantes e cafés ao longo dos percursos. Uma ótima oportunidade para quem gosta de comida mineira.

Inhotim

Imagem: melhoresdestinos.com.br

Para visitar

São, aproximadamente, 60km de distância de Belo Horizonte até Inhotim. Há ônibus e vans que fazem o trajeto, caso você não queira ir de carro particular. O site do Instituto oferece orientações sobre como chegar.

O Inhotim funciona de terça a domingo, com horários que podem variar dependendo da programação. A entrada é gratuita às quartas e, durante os outros dias, há a opção de meia. O recomendado é consultar os valores no site, já que eles podem sofrer reajuste com o passar do tempo. Lá também está o preço do carrinho que pode ser alugado. Porém, até o próprio Inhotim recomenda que a visita seja feita a pé, para aproveitar de verdade.

Assim, a dica final é: quando visitar o Instituto Inhotim, lembre-se de ir com a mente aberta a novas experiências, a sentir tudo que a harmonia entre a arte, a arquitetura, o paisagismo e a natureza oferecem. Inspire-se e renove-se!

Inhotim

Imagem: exame.abril.com.br

Referências: Inhotim; Blog Inhotim.

Você também pode gostar de
compatibilização de projetos
O que é compatibilização de projetos?
cidades planejadas
8 cidades planejadas no Brasil (além de Brasília)
Casa Cor SP 2018: Lago Negro é destaque brasileiro!