Home > Tecnologia > 10 tendências tecnológicas e comerciais para 2018 na Arquitetura

10 tendências tecnológicas e comerciais para 2018 na Arquitetura

///
Comments are Off

Todos os anos surgem novas tendências tecnológicas e comerciais, com ferramentas e modelos de negócios em várias áreas. No ramo de Arquitetura e Urbanismo não é diferente.

À medida que a tecnologia continua fornecendo novas maneiras para que as pessoas consumam conteúdo, precisamos estar ligados nas novas ferramentas e como elas podem melhorar o nosso negócio de um modo geral, bem como destacá-lo.

Tendências tecnológicas

Acredito com muita força que a empresa ou profissional que oferecer uma gama de produtos suplementares, além da tradicional imagem em 3D para acompanhamento ou a visualização de projetos, terá maiores oportunidades de se manter neste mercado muito competitivo.

Aproveitando-se da modelagem que é criada para as renderizações, podemos desdobrar uma série de outros serviços que agregam muito mais valor ao serviço.

Aqui vão algumas delas:

1) Uso do Shapespark para passeios virtuais

Clique no triângulo que se encontra no centro da imagem abaixo, e com o teclado e o mouse, navegue dentro dela como se fosse um jogo. Se estiver no celular, basta clicar para onde queira ir:

 

O Shapespark é um programa que pode ser facilmente substituído pela Unreal engine, CASO o objetivo final seja criar passeios virtuais foto-realistas. O diferencial é a rapidez e a facilidade que você poderá executar isso.

O Shapespark integra-se com as ferramentas de modelagem 3D existentes e permite que você crie visualizações em tempo real com iluminação fisicamente precisa. As visualizações do Shapespark podem ser compartilhadas via links ou incorporadas em páginas da web.

Visite um interior antes de ser construído

As renderizações estáticas limitam o visualizador a alguns pontos de vista selecionados, o que torna difícil imaginar completamente um espaço e avaliar sua funcionalidade e atmosfera. Com o Shapespark você pode superar essas limitações, permitindo que o espectador entre no espaço e passeie livremente para examinar todos os detalhes.

Explore o conteúdo criado na Web

Apresentar o conteúdo em 3D nunca foi tão fácil. Podemos exportar e explorar os passeios 3Ds diretamente no navegador da Web sem baixar nenhum aplicativo, nem instalar plugins.

Realidade virtual com o uso dos óculos de VR

O Shapespark suporta o WebVR permitindo entrar em Realidade Virtual sem sair do navegador da Web. Você pode usar aparelhos de mesa e móveis: Oculus Rift, HTC Vive, Google Cardboard e Daydream.

Iluminação fisicamente precisa

A iluminação precisa é o ingrediente chave para fazer uma cena virtual parecer real. O Shapespark usa técnicas de iluminação global que simulam o comportamento da luz no mundo real para todos os tipos de fontes de luz, sejam eles sol, céu ou lâmpadas. Estas são as mesmas técnicas que os motores de renderização usam para gerar imagens foto-realistas, como o caso do V-Ray.

Clique aqui para ver um exemplo que fizemos usando este programa. Esta cozinha é a mesma que usamos em nosso curso de Maquete Eletrônica.

Se interessou no programa? Então saiba como aprender a usar o Shapespark.

2) Uso da tecnologia de câmeras 360

Dê play no vídeo e arraste-o com o mouse para ver a cena em todos os ângulos:

As fotos ou imagens em 360º ficaram muito conhecidas, por parte da série 360 exibida no Fantástico desde 2017. De fato, este tipo de solução entrega uma sensação de profundidade e entendimento da situação fotografada incrível. E é partir daí que podemos tirar proveito de forma profissional desta tecnologia.

Uma das soluções é o uso do 360 para o acompanhamento de uma obra, seja da parte externa e interna, de cada cômodo, para informações e updates ao cliente.

Basta, juntamente com um tripé, efetuar as fotos ou até vídeos e enviar através de um simples link. Esta proximidade regular entre o arquiteto e o cliente beneficia ambos em vários aspectos: seja no polimento de ideias técnicas, até o melhor entrosamento pessoal e profissional.

Existem no mercado inúmeras câmeras 360º. Para quem quer testar ou iniciar neste segmento, indico esta câmera da Samsung acima, e este canal life in 360.

Quero que perceba o quanto você pode ampliar as soluções de representações arquitetônicas da sua empresa, além da simples imagem 3D.

A tecnologia pode ser usada também para o auxílio de locação, compra e venda de imóveis: Com as fotos em 360, através de uma plataforma online, você poderá escolher o local do imóvel, tamanho e depois passear por dentro dele, observando tudo: tamanho, acabamentos de cada canto do imóvel, etc.

Aliás, para quem precisa usar já este tipo de tecnologia, indico meu super parceiro, Jef Coelho. Ele é tão fera que até saiu na rede Globo no programa Pequenas Empresas, Grandes Negócios.

3) Projetos com o uso em realidade Aumentada

Hoje em dia a informação que consumimos não está mais limitada as telas a nossa frente.

Com a realidade aumentada o que está ao nosso redor agora pode ser levado em conta no conteúdo que nos é servido. Esta tecnologia não é nova, porém hoje, com o hardware dos aparelhos de celular mais avançados para o processo de informações, principalmente no conteúdo em 3D, a realidade aumentada está se tornando mais prevalente em toda a área mobile e web. Isso significa que você deve planejar um 2018 que inclui soluções mistas com o uso de Realidade Aumentada.

Os usuários são atraídos para a realidade aumentada porque facilita a navegação em informações de localização relevantes. Por exemplo, usando esta tecnologia, qualquer pessoa com um smartphone pode descobrir conteúdos relevantes de acordo com o local ou com o assunto.

Quer se trate de um restaurante local, um passeio partilhado nos arredores ou mesmo um banheiro, os arquitetos devem estar preparados para usar os dados para prever a intenção, bem como fornecer detalhamentos técnicos de maneira fácil e intuitiva.

Dou um exemplo: durante uma obra, podemos in loco, apontando o celular em uma parede, aplicar e testar diferentes tipos de acabamentos. Isso vale para pisos e também para mobiliário e decoração.

Esta ideia vale também para os stands de vendas que podem mesclar uma decoração real, juntamente com opções secundárias que carregará via RA,  através de um tablet por onde o cliente poderá experiencia-lo.

A realidade aumentada poderá trabalhar em conjunto com folders e outros materiais impressos para carregar volumetrias em 3D e conteúdos de mídia que além de encantar atuais e futuros clientes, acelerará processos de decisões do projeto.

4) Uso dos óculos de realidade virtual de baixo custo

 

Pessoal, hoje está fácil, sério!

Basta uma rápida pesquisa no mercado live para verificar que um acessório básico, onde você acopla o seu celular e oferece ao cliente uma experiência mais profunda como a realidade virtual, não passa de R$50,00 a R$70,00.

O Youtube por exemplo já entende quando o conteúdo de vídeo esta no formato 360 e lhe dá a opção para exibi-lo no formato “cardboard”, como vemos na foto acima, onde é separado em duas imagens o conteúdo em 360. Basta ativá-lo, inserir o celular no óculos de RV, ajustar as lentes, dar play no vídeo e pronto.

“Mas meu conteúdo não foi feito com uma câmera 360, ele foi criado via 3D usando o V-Ray,etc.”

Não importa!

Seja via aplicativo ou mesmo exportando para o youtube a foto em formato de vídeo, você poderá desfrutar da experiência 3D mais imersiva. Você ou o seu cliente.

Seu cliente não possui o óculos?

O que são R$ 50,00 a mais no seu custo versus o agrado e o diferencial que poderá oferecer a ele?

Espero que estes 5 tópicos lhe ajudem a abrir a cabeça. Porém é sempre bom ficar atento as tendências comerciais. Vejamos algumas delas abaixo:

Tendencias comerciais

1) Projeto de Arquitetura e comunidade integradas

Os projetos de Arquitetura orientados pela comunidade local, onde exista uma interação valiosa entre os seres humanos e os ambientes construídos e naturais, é algo a se pensar para 2018.

Essa tendência, adotada inicialmente por escritórios de arquitetura americanos – levou o conceito de arquitetura consciente da comunidade à vida. Os projetos onde a participação pública,  mais os projetos orientados pela comunidade e as suas características sustentáveis, são os principais componentes que melhorarão substancialmente a sua saúde e a qualidade de vida, abordando suas maiores questões e respeitando seu meio ambiente.

Esses projetos aprimoram e melhoram a maneira como as pessoas interagem com seus edifícios e como os edifícios interagem com seus arredores em uma escala maior.

De pequenos edifícios residenciais a grandes projetos públicos, o conceito pode ser aplicado em qualquer construção arquitetônica.

2) Luz natural

Você já se perguntou por que a iluminação natural é uma parte tão importante para ser levada em conta em um projeto arquitetônico?

A luz natural funciona no bem estar das pessoas? Por que existe um foco tão grande e importante da luz natural nos projetos?

A “iluminação artificial” é um desenvolvimento relativamente recente em tecnologia arquitetônica e um elemento de design que continua cada vez mais sofisticado.

No entanto, o interesse pela iluminação natural mudou, devido ao interesse em rever e aprender como a luz era usada em edifícios mais antigos.

A iluminação natural é sem dúvida mais agradável visualmente, além de complementar a composição arquitetônica por dentro e por fora dos edifícios. A visão é o nosso sentido dominante e outros aspectos de nossos espaços, como as características acústicas, decoração e mobiliário, também funcionam melhor quando a iluminação é boa.

A iluminação natural é muito atraente pelo fato de ser dinâmica – por exemplo, o brilho da luz em diferentes momentos do dia e a sua “cor”, compõe a mesma volumetria no decorrer do dia.

A luz no final da tarde por exemplo, tende a romancear qualquer estrutura, por isso é importante dar um destaque especial ao estudo da luz natural com mais seriedade e foco.

3) Casa inteligente e integração de aparelhos

As pessoas e seus clientes amam tecnologia. Seus clientes de hoje são a meninada que jogava video-game há 20, 30 anos atrás. Meu marido mesmo já jogava o Intelivision em 1982!

Você se perguntou por que as casas inteligentes são o futuro da arquitetura residencial?

Ao longo dos últimos dez anos o mercado de dispositivos eletrônicos aumentou de forma tão surpreendente que é impossível assumir o que nos espera no próximo ano.

O fenômeno da “casa inteligente” tem todas as soluções para resolver nossos problemas do dia a dia.

O termo “casa inteligente” é popularmente definido como automação doméstica, envolvendo controle e automação de iluminação, aquecimento, ventilação, ar-condicionado, segurança, eletrodomésticos e comunicações. Todos dependem de dois elementos fundamentais: eletricidade e Wi-Fi.

Na verdade, consideramos a adição de linhas de dados a áreas da casa como lavanderia, banheiro e cozinha, assim como novos códigos de construção e tendências de uma demanda doméstica de luxo.

As casas inteligentes são a prova viva de como secretamente cobiçamos conforto em todas as fases da nossa vida.  E a integração destas soluções em seus projetos podem definir e destaca-los positivamente.

Tecnologia escondida

A mais recente tecnologia doméstica está mais integrada do que nunca. Os consumidores desejam recursos domésticos conectados que simplificam suas vidas, enquanto se misturam ao resto da casa.

Por exemplo, a nova Whirlpool Smart Kitchen Suite permite o controle remoto da geladeira, lava-louças e alcance através do aplicativo móvel da Whirlpool, tornando as tarefas diárias mais eficientes.

Os usuários podem ajustar os ciclos de limpeza na máquina de lavar louça inteligente, pré-aquecer o forno, ajustar o tempo de cozimento ou mesmo reordenar suprimentos, tudo a partir de um dispositivo móvel.

Na busca da personalização, a casa conectada pode assumir diferentes interpretações para diferentes consumidores; no entanto, a facilidade de uso é um componente crucial da casa conectada.

Foi feita uma pesquisa onde 91% dos entrevistados indicaram que a interface e os controles simples deste tipo de tecnologia são cruciais.

Os arquitetos devem trabalhar com construtores para garantir que a personalização seja parte do plano desde o início, e também que as novas casas estejam otimizadas para conectividade Wi-Fi com base no tamanho e layout da casa.

4) Espaços públicos e privados em um só lugar

Está ai uma coisa que posso ser um exemplo. Pois fiz com que a minha vida entre escritório e residencia fossem muito próximos, ao ponto de poder ir a pé.

À medida que mais e mais pessoas se reúnem em áreas urbanas, as cidades de hoje vão enfrentando uma crise espacial.

Os longos engarrafamentos pedem uma mudança na forma como as cidades organizam o seu espaço.

Resultado: a combinação de espaços públicos e privados. Anteriormente, as cidades haviam fixado áreas designadas como residenciais, comerciais e industriais.

No entanto, em 2018, espera-se mais fusão desses espaços. Isso torna a necessidade de transporte mínimo, mantendo as pessoas mais felizes e sobrando-lhes mais tempo para outras atividades.

5) Sustentabilidade

De acordo com a US Energy Information Administration (EIA), o setor de construção consome quase metade de toda a energia produzida nos Estados Unidos. Cedo ou tarde uma porcentagem parecida como esta poderá chegar no Brasil.

Portanto, não é de surpreender que a indústria da construção tenha formado grupos como o Comitê de Meio Ambiente (COTE) da AIA que visam promover práticas de design sustentável na indústria.

Além disso, a sustentabilidade também é uma preocupação principal para os compradores de casas, de acordo com pesquisas da National Association of Realtors.

Os consumidores sabem a importância de reduzir suas emissões de carbono e querem fazer escolhas sustentáveis ​​que se encaixam em seus estilos de vida.

Os arquitetos podem atender a essas necessidades, assegurando que o acabamento do edifício seja bem selado e isolado, além de incluir opções sustentáveis, como painéis solares ou aparelhos eficientes em termos energéticos.

Uma dessas inovações recentes da WLabs da Whirlpool é o Zera Food Recycler, que pode converter o desperdício de alimentos em fertilizante caseiro em 24 horas, ajudando a reduzir a quantidade de resíduos de alimentos que acabam em aterros sanitários.

Ficar de olho nas tecnologias criadas para a sustentabilidade pode ser mais um diferencial que a sua empresa ou projeto podem aderir e com isso, se destacar.

Gostou das dicas?

Tem alguma ideia bacana que posso ser acrescentada?

Comente abaixo!