Home > Viagens > O Coliseu de Roma e o Arco de Constantino

O Coliseu de Roma e o Arco de Constantino

/
15 out 2017
//

O Coliseu de Roma e o Arco de Constantino

E eis que chegamos ao Velho Mundo: Europa, mais precisamente em Roma na Itália, aquele país também conhecido por ter seu formato geográfico que lembra perfeitamente uma bota de salto! Veja a baixo se não lembra mesmo…

Mapa da Goegrafia de Roma formato Bota

Mapa de Localização de Roma – Imagem por Wikipédia

 

Primeiramente um pouco de história.

Em sala de aula aprendemos que a Mesopotâmia é considerada por historiadores como o verdadeiro berço da humanidade, já o filosofo Alfred N. Whitehead classifica Roma como o berço da tecnologia!

O Arco, A Abóbada e a Cúpula possibilitaram aos construtores romanos cobrirem imensos volume de espaço, com arquitetura cerrada e de massas de sustentação. A arquitetura foi grandemente ampliada com a invenção do concreto que possibilita projetos cada vez mais audaciosos como as térmicas, pontes, aquedutos, basílicas, fóruns, arcos, anfiteatros, estádios esportivos entre outros.

Roma definitivamente deixou sua marca no mundo, além da arquitetura, os romanos estabeleceram um padrão de civilização, desde leis e governos até necessidades mais modernas como diretrizes de “saneamento básico”: encanamento de água, lavatórios públicos, e esgoto.

Roma é considerada uma cidade global. Em 2007 foi a 11ª cidade mais visitada do mundo, a terceira mais visitada da União Europeia e a atração turística mais popular na Itália.

A cidade tem uma das melhores “marcas” da Europa, tanto em reputação quanto em patrimônio. O seu centro histórico é classificado pela UNESCO como Patrimônio Mundial.

Monumentos e museus, tais como os Museus Vaticanos e o Coliseu, estão entre os destinos turísticos mais visitados do mundo, sendo que ambos os locais recebem milhões de turistas por ano e foi por lá que passamos!

 

Parte da fachada lateral Arquitetura Neoclassica do colosseo de Roma

Fachada de uma das Laterais Coliseu de Roma, Italia.

 

  • O grande palco: O Coliseu de Roma:

 

Vista da fachada Coliseu de Roma a partir do Palatino

Fachada Frontal Coliseu de Roma, Italia.

 

Antigamente chamado de Colosseo de Roma e atualmente como Anfiteatro Flaviano, a construção começou sob o governo do imperador Vespasiano em 72 d.C. e foi concluída em 80, sob o regime do seu sucessor e herdeiro, Tito. Outras modificações foram feitas durante o reinado de Domiciano (81-96). Estes imperadores ficaram conhecidos como da dinastia flaviana e o anfiteatro foi nomeado em latim desta maneira por sua associação com o nome da família Flavius.

O Coliseu foi muito utilizado como palco da política de pão e circo oferecido pela dinastia pois metade do ano era destinado a feriados oficiais servindo de espetáculos para divertir o povo. (Que pelo visto não tinham muito o que fazer em seus dias de folga, a não ser curtir derramamento de sangue.)

O Coliseu localiza-se próximo ao Fóro Romano que infelizmente nos dias de hoje se encontra em uma situação de conservação muito inferior ao Coliseu.  Apesar de passar por inúmeros terremotos ocorridos ao longo dos séculos, o Coliseu ainda mantêm parte de sua estrutura .

Uma antiga profecia diz que o fim do Coliseu está ligado ao fim de Roma, ao fim do mundo.

Felizmente para nós que ainda estamos aqui o Coliseu ainda se encontra de pé, não é mesmo? Ufa!

 

Planta de localização Palatino e Foro Romano

 

Por que Colosseo?

O Coliseu foi construído no local de um antigo palácio de Nero, sua estrutura oval recebeu esse nome por causa de uma da gigantesca estatua de Nero chamada Colosso situada nas mediações. Um momento que impressiona ainda hoje e que demostrava o gosto dos romanos por esportes e engenharia.

Colosso de Nero sendo esculpido, imagem por Wikipédia

 

Escultura de Nero no momento de sua execução

Colosso de Nero sendo esculpido, imagem por Wikipédia

A arena era utilizada pelos gladiadores que lutavam entre si ou no massacre de animais. E chamava-se arena pois o termo queria dizer areia, pois utilizavam de areia para forrar o piso e para que este servisse para absorver o sangue derramando nas batalhas, e m seu interior existem jaulas subterrâneas e guindastes para trazer os animais a superfície da arena.

 

Vista aerea da domus aurea

A extravagante Domus Aurea – Imagem por https://www.the-colosseum.net

 

A Arena do Coliseu foi estrategicamente construída sobre o chamado Lago de Nero que através de um sistema de engenharia era inundado para treinamentos ou simulações de batalhas navais.

 

Interna do Coliseu de Roma, Italia

Coliseu e alguns de seus números:

 

.- O Anfiteatro mede 527 metros de circunferência, possui 187 metros em seu maior eixo e 155 metros em seu menor, totalizando 3357 m2 de área ocupada.

– Sua fachada compõe-se de 3 andares em se abre 80 arcadas e é encimada por um ático com pilares e janelas, que com 22 mil m2 de superfície a tela cobria a arena a uma altura de 50 m.

– As paredes do anel externo possuem 52 metros acima do solo e conta com mais de 100.000 metros cúbicos de mármore travertino, sendo 45000 foi utilizado apenas na área externa.  Os blocos de mármore ficavam presos um a um por presilhas de ferro e se estima que foram utilizadas mais de 300 toneladas de ferro em sua estrutura.

– Para abrigar os espectadores do sol foram criados 58 postes de madeira ao redor do topo que mantinham o toldo aberto. Espargia-se perfume para disfarçar o mal cheiro de sangue e lixo. Imagine como não devia ser esse lugar naquela época?

– O teatro possui um público de 60 mil espectadores, acomodados em 6 fileiras, sustentados por uma fachada de tijolos e concreto de 8 arcos em 4 níveis. Originalmente foi revestido em travestindo em sua fachada, o qual foi saqueado pelas famílias ricas para decorar seus palácios.

– Conta-se que que devido a quantidade de trabalhadores 15 mil (escravos hebreus), era tão grande que foi necessário criar uma estrada de 20 km de extensão para que todos pudessem se locomover e nem todos cabiam dentro do anfiteatro, imagine só isso!

– Especula-se que foram mortas aproximadamente 5000 feras durante os cem dias de sua inauguração.

– 76 Portões serviam de rede de entradas e rampas com cúpulas cilíndricas, cujo projeto até hoje serve de inspiração para os estádios de futebol.

 

O Coliseu foi utilizado até o ano 523 para contendas de animais e deixou de ser usado para entretenimento na era medieval para mais tarde ser reutilizado para vários fins, tais como habitação, oficinas, sede uma ordem religiosa, uma fortaleza, uma pedreira e um santuário cristão.

 

Atualmente tudo o que restou do famoso edifício são ruinas que são por nós avistados assim que deixamos o metrô Colosseo que assim que adentrado no leva automaticamente para uma espécie de portal do tempo. É emocionante.

Apesar do Coliseu ser um dos edifícios mais admirados pelos turistas sua Arquitetura original é pouco lembrada nos dias de hoje.

 

Veja no gif animado a seguir a imagem do antes e depois dessa magnifica obra.

 

COLOCAR GIF  ANIMADO : https://goo.gl/photos/Xvua58M5yuLY27uY8

 

Embora parcialmente arruinado por terremotos e saques, o Coliseu é ainda um símbolo da Roma Imperial. É uma das atrações turísticas mais populares da capital italiana e possui atualmente conexões com a Igreja Católica Romana, pois a cada Sexta-feira Santa, o Papa guia a Via Crúcis que começa na área em torno do Coliseu.

Uma curiosidade? O Coliseu é retratado na versão italiana da moeda de euro de cinco centavos. Como eu queria essa moeda…

Um dia no Coliseu:

 Dependendo de onde estiver localizo o Hotel em que você está hospedado você provavelmente vai deslocar de Metrô e os nomes das estações são bem fáceis pois muitas delas tiveram seus nomes atribuídos de acordo com a localização do ponto turístico. Para chegar ao Coliseu, é necessário descer na estação COLOSSEO, só isso.

Ao descer você já sabe, a poucos metros de distância já será possível vislumbrar o edifício. Quanto mais cedo você chegar melhor pois suas imagens ficarão mais bonitas com menos turistas em suas fotos e é bem capaz de você conseguir umas fotos só você e ele.

Cuidado com os Gladiadores! Não se assuste! Ninguém vai entrar em luta com você no Coliseu, os gladiadores são aqueles homens com vestimentas romanas que ficam zanzando para lá e para cá na porta do Coliseu, eles costumam cobrar meio caro para poder fazer fotos com você, mas antes de posar para qualquer foto, veja se consegue negociar um valor mais baixo, e depois aproveite pois eles são muuuuuito simpáticos, a função deles ali é te agradar de modo que você leve as melhores imagens do local.

Dependendo da época do ano o local pode ficar bem cheio, quando eu fui era Outono e estava um Sol lindo com um ventinho meio gelado, não achei que tivesse tantos turistas como algumas pessoas dizem que costuma ter.

É possível visitar o Coliseu internamente! Você pode comprar o ingresso pelo site  www.the-colosseum.net ou no local, mas para evitar filas muito grandes você também pode se dirigir a bilheteria do Fórum Romano ou o Palatino, que estão bem próximos e costumam ter filas mais modestas.

Na época paguei 11 euros pelo ingresso e ele é válido para 2 dias, e disponibiliza o acesso para o Coliseu, o Palatino e o Fórum Romano, no entanto só é possível entrar apenas uma vez em cada.

Dentro do Coliseu você vai encontrar muitas grades, pois alguns locais não são permitidos o acesso, principalmente a parte subterrânea, você terá acesso a parte superior onde permite uma boa visão a grande arena além disso vai passear por alguns corredores onde são exibidas algumas obras com descrição do que foi o Coliseu em seu apogeu.

 

Retrato do que era o Coliseu em seu tempo de Apogeu

 

 

Para chegar na parte mais alta do edifício o acesso é feito através de escadas com degraus que nunca ouviram falar da fórmula de Blondel. ( Brincadeirinha).

 

Observe em uma dar imagens anteriores, a partir da visão geral interna do Coliseu o local onde os turistas podem transitar.

Coliseu de Roma vista interna

 

Encontrar o Coliseu é emocionante entrar dentro dele é inesquecível! Vale a pena o passeio.

  • Arco de Constantino

 

Mas antes um pouco de história:

 Os arcos podem ter muitas formas, podem ser arredondados ou pontiagudos, sua forma define o estilo, mas independente da forma, todos eles têm em comum é a função de cobrir um espaço e nisso os romanos foram os precursores.

O Arco do Triunfo era uma forma característica dos romanos. Seu significado era religioso, ao final de uma campanha militar, os soldados eram levados a passar embaixo de uma “porta maágica” arqueada para expurgar sua agressividade, adaptando-se à vida civil.

Posteriormente os arcos triunfais eram uma monumental passagem pela qual os imperadores faziam suas paradas durante as marchas. Desde o século I d.C., esses arcos eram erguidos em pedra e ricamente esculpidos, como portais ou monumentos comemorativos.

Construídos por todo o império romano, os arcos do triunfo eram de dois tipos: com uma arcada única, como o Arco de Tito, Roma (82dC) ou com uma estrutura de três partes, com dois arcos menores ladeando um arco extenso. Eles voltaram em moda novamente no Renascimento Italiano e voltaram a ser populares nos séculos XVIII e XIX. O maior Arco é o Arco do Triunfo, em Paris, (1806-35), o qual vamos falar nos próximos artigos.

 Mas por hora falar de Coliseu é falar do Arco de Constantino que possui esse nome em comemoração à vitória de Constantino na Batalha de Ponte Milvo em 312 Dc.

A batalha está representada ao lado direito do arco, na vista oposto ao Coliseu, e a inscrição central significa:

 

“Ao pio, feliz e augusto imperador César Flávio Constantino, o Grande, dedicou o Senado e o Povo de Roma este arco em sinal do seu triunfo, porque sob inspiração da Divindade e pela grandeza do seu espírito, vingou de um só golpe, com o seu exército e com armas justas, o Estado, tanto sobre o usurpador, como sobre toda a sua facção”.

 

O Arco está localizado bem pertinho do Coliseu e suas dimensões chamam a atenção de quem passa: 21 metros de altura, 25 de largura e 7,50 m de profundidade

O Arco teve sua inauguração oficialmente declarada em julho de 315, juntamente com os Arcos de Tito e de Septímio Severo, que formam a famosa tríade dos arcos triunfais de Roma, ambos localizados nas dependências do Fórum Romano.

 

.

Arquietetura neoclassica Arco de Constantino

Arco de Constantino

 

 

No próximo artigo vamos falar mais sobre o Palatino e o Fórum Romano, outro passeio que se você for a Roma você não pode perder!

 

Gostou do artigo? Deixe seu comentário.

 

 

Bibliografia Consultada:

Carol S. Arquitetura Comentada

ArcheoLibri:  Roma Reconstruída

E Wikipédia.com

Você também pode gostar de
O Palatino e o Fórum Romano