Home > Desenhos > 10 dicas para criar bons Croquis

10 dicas para criar bons Croquis

///
Comments are Off

O Que é o Croquis?

Mesmos com a utilização da tecnologia, o que considero extremamente importante para a arquitetura, ainda vejo muitos profissionais utilizando o velho lápis e papel para capturar a primeira ideia de um projeto. Não para desenvolver um projeto todo à mão, pois isso hoje não faz sentido já que existem os programas de desenho técnico que podemos desenhar e modificar todo o nosso projeto de uma forma muito mais rápida do que se desenharmos à mão.

O croquis é aquele traço inicial de um projeto, serve para transmitir de forma muito rápida as ideias para o papel. Serve para trocar ideias com outros arquitetos que fazem parte do mesmo projeto ou até mesmo para o cliente. É o ato de registrar uma ideia ou uma cena instantânea. Geralmente são produzidos em traços sem muita precisão ou até mesmo descompromissados. Por isso não servem como um projeto definitivo, mas como captura de uma ideia inicial é muito valioso.

Dicas para criar um bom croquis

A importância da escala humana nos croquis

A escala humana é de grande importância nos croquis e nas perspectivas de apresentação, pois nos transmite a relação de proporção com o edifício desenhado. Além de nos dar uma referência de escala do projeto, permite demonstrar as funções desse espaço. Se é um espaço de passagem, de vivência, ou seja, mostra o uso dos espaços em nossos projetos. A escala humana pode ser mais bem detalhada ou apenas alguns traços já definem a figura humana.

 

Traço como marca registrada do desenhista

Cada profissional e artista que desenha a mão acaba definindo uma forma de desenhar, um estilo de traço, de sombreamento, de escalas humanas. É importante que você também tenha uma forma de desenhar e ser reconhecido pelo seu estilo. O traço dependendo do que estamos desenhando pode ser mais solto, mais leve ou mais pesado, um traço mais reto ou um traço mais irregular.

Podemos variar um traço no projeto, utilizando ele para definir arestas mais próximas, mas afastadas, desenhar uma textura e definir tonalidades em nosso desenho, aplicados nas faces com luz e sombra. Defina um traço, desenhe texturas e utilize características marcantes em seus desenhos.

Efeito Luz e sombra

Quando estamos desenhando um croquis, precisamos utilizar bem as luzes e sombras que estarão presentes no ambiente e no projeto que estiver desenvolvendo. As luzes e sombras são um acabamento importante na finalização de um desenho, porque nos dão uma maior noção de volume e profundidade, as sombras nos dão uma sensação de três dimensões no desenho.

Podemos utilizar a luz e a sombra nos croquis da seguinte forma: A luz que incide no edifício deixando a face branca, a sombra na face não iluminada e a sombra projetada. Veja o Exemplo abaixo.

Escala e proporção

Para se executar um bom croquis é preciso manter a escala e proporção. Não necessariamente utilizando de medidas exatas, mas mantendo a proporção entre os elementos do seu projeto.

O croquis deve sim ser feito de forma livre, mas é preciso muito exercício de observação e desenho para ganharmos essa percepção de proporção e escala quando estamos desenhando a mão. Dessa forma criamos desenhos coerentes e possíveis de execução. É claro que por se tratar de um croquis não haverá uma precisão exata em nossos desenhos, pois utilizamos os softwares de desenhos em 2D quanto em 3D para o desenvolvimento e também fazendo parte do nosso processo de criação, mas é necessário que a primeira ideia desenvolvida a mão seja possível de ser desenvolvida.

Observação

Uma dica muito importante para melhorar nossos croquis é o conhecimento e observação de técnicas construtivas, materiais e estilos arquitetônicos, pois quando observamos e temos conhecimento de como os materiais e técnicas se interagem, nosso desenho fica muito mais fiel ao nosso projeto.

Um bom começo é realizar croquis de observação na rua, por onde passamos e onde frequentamos. Imagina só você passando todo dia por uma construção metálica, ou concreto armado, com estilos diferentes, perto de onde você mora ou trabalha. Então você pára um pouquinho, pega seu caderno e um lápis e registra aquele detalhe ou a obra toda!

Com isso ganhamos repertório primeiro desenhando projetos já existentes, e praticando a observação também ganhamos noção de escala e proporção, luz e sombra, trazendo isso depois para os croquis de nossos projetos.

Utilizar uma referência para iniciar seus croquis

Quando nunca desenhamos a mão não temos um estilo de desenho e não fazemos ideia de como começar um croquis. Uma dica que eu sempre dou é utilizar como referência outros croquis de arquitetos, conhecidos ou não, desde que tenham bons desenhos.

Podemos pegar um croquis de um arquiteto que admiramos e copiar este algumas vezes para entendermos um pouco sobre como ele pode ter sido produzido, visualizando também quanta informação foi colocada naquele desenho. Assim ganhamos um repertório além do desenho de observação, que é o de reproduzir algo já feito antes.

Aqui não estou dizendo para copiar os croquis e as ideias desses projetos e sim entender um pouco o processo que cada arquiteto usa em seus desenhos, que tipo de traço, texturas usadas, tipos de escala humana e outras informações valiosas que podemos absorver.

O cuidado na hora de colorir um croquis

Os croquis podem ser feitos em preto e branco ou podem ser coloridos.

Eu particularmente sou fã de croquis em preto e branco, apenas com as texturas, luzes e sobras aplicadas no desenho. Mas as vezes me aventuro em colorir meus croquis. Para isso devemos tomar muito cuidado para não exagerarmos nessa hora, pois a chance de errar pelo excesso de cor é muito grande.

Eu sei que é muito difícil se controlar na hora em que estamos com o lápis de cor ou a canetinha marcador, mas precisamos colorir de forma que o desenho não perca a beleza ou chame muita atenção por aquela cor que colocamos e não combinou nada naquele desenho.

Comece utilizando poucas cores. Por exemplo, podemos pintar apenas o chão para nos dar uma base e uma parede que seja destaque ou seja um elemento importante no projeto. Dessa forma, estaremos colorindo apenas o necessário em nossos croquis e tenho certeza que assim ficarão mais equilibrados e menos chamativos.

Desenhe vegetação em seus croquis

Uma forma excelente de humanizar seus desenhos é a utilização da figura humana e da vegetação. Em uma dica anterior já falamos da escala humana, agora é hora de falar sobre a vegetação. Quando utilizamos árvores e arbustos também damos uma noção de escala em nosso desenho além de humanizar mais os nossos croquis.

Procure sempre se utilizar da vegetação de fundo, do projeto ou alguma vegetação que está em primeiro plano. Mesmo que esta árvore esteja na frente do seu projeto é possível desenhá-la sem que essa atrapalhe a vista da sua edificação.

Posso desenhar o tronco e os galhos deixando a folhagem um pouco mais rala, sem mostrar muito a copa da árvore. Ou se for colorir podemos desenhar o contorno da copa da árvore na frente da edificação e colorir com uma caneta verde que deixe bem transparente, possibilitando ver a arquitetura através da vegetação.

Comece desenhando com um ponto de fuga

Nos croquis e nas perspectivas utilizamos 1, 2 ou 3 pontos de fuga, pois nos guiam para mantermos as formas, escalas e proporções. Chamamos de perspectivas cônicas. Elas nos dão a noção de profundidade nos desenhos.

Quando não temos muita experiência com as perspectivas, costumo ensinar primeiro as perspectivas com apenas 1 ponto de fuga, pois são mais simples de entender e iniciar os nossos desenhos. Comece por elas, garanto que terá maior facilidade para compreender e depois partir para as perspectivas mais complexas.

Que materiais devo utilizar

Não existe uma regra. Sempre recomendo que utilize a caneta ou o lápis que te dá maior conforto e controle sobre os seus desenhos.

Lápis para croquis

Os lápis próprios para desenho como, 2b, 4b, 6b, são excelentes pois dão maior riqueza comparados as lapiseiras, porém quando estamos desenhando por observação na rua ou não temos condições de utilizar vários lápis diferentes é totalmente tranquilo o uso das lapiseiras. Estas não dependem de ficar apontando e você pode utilizar tanto para escrever quanto para desenhar. Pode-se utilizar uma lapiseira 0.5 e uma 0.9 com grafites mais macios para os traços e também uma lapiseira mais grossa para trabalhar com a luz e sombra nos seus croquis.

Papéis para croquis

Os papéis podem ser aqueles para desenho, tipo Canson, linho, opaline ou aqueles cadernos parecidos com agendas, os sketchbooks que são fáceis de carregar e você pode utilizar em qualquer lugar. Evito utilizar o papel sulfite comum, pois não tem uma textura muito favorável para os desenhos. Não valorizam muito o traço como os papéis especiais para desenho como esses que comentei acima.

Canetas para croquis

Outro material que utilizo muito são as canetas nanquim, pois dão muita vida aos desenhos, porém essas exigem maior experiência para utilizar, pois qualquer errinho já não tem como voltar o traço. Para utilizar as primeiras vezes recomendo uma base feita com lápis e em seguida utilizar a caneta para passar a limpo o desenho. Mas com o tempo recomendo desenhar os croquis diretamente à caneta.

No começo temos um pouco de medo de errar, mas é desenhar muito e vencer esse medo, pois os desenhos feitos direto à caneta demonstram que você já amadureceu bastante na matéria desenho a mão livre. As canetas que eu mais utilizo para desenvolver meus croquis são aquelas descartáveis de espessura 0.1, 0.3 e 0.6, mas se desejar um desenho com maior detalhe pode utilizar uma caneta mais fina ainda como uma 0.05 ou se prefere traços mais fortes e pesados pode substituir a 0.6 por uma 0.8.

Bom, depois de todas essas dicas vamos para o papel iniciar nossos croquis!!

Desejo bons trabalhos a todos!