Home > Bim > O que é BIM?

O que é BIM?

///
Comments are Off

O sistema BIM é o mais avançado conceito no sistema de criação de projetos. Agora, com o novo decreto aprovado, conhecer BIM é um caminho sem volta. Vamos saber tudo sobre ele agora?

O que é BIM?

Imagem cortesia pela Autodesk

Ferramenta essencial para os profissionais que atuam com projetos, com arquitetos, o BIM (Building Information Modeling, ou Modelagem na Informação da Construção) pode ser considerado, à primeira vista, como um conceito, uma forma de pensar e elaborar projetos em construção civil.

O BIM permite aos profissionais elaborar esses projetos em todo o seu ciclo de vida, desde o início, apurando sua viabilidade, até a sua manutenção, através da compatibilização de disciplinas na expressão gráfica, até o planejamento.

O uso do BIM permite inclusive que os profissionais planejem o orçamento e a execução da obra, tornando a preparação para os serviços ainda mais completa.

Embora essa definição pareça um pouco teórica, na prática é fácil compreendê-la. O BIM é um conceito que demanda aos projetistas, em vários segmentos, pensar em todas as etapas de seu trabalho antes mesmo de iniciá-los no computador, apurando se eles são viáveis, por exemplo.

DECRETO Nº 9.377, DE 17 DE MAIO DE 2018 – USO DO BIM

A BIM é a atual estrela da indústria da construção. Embora a tecnologia já existe há cerca de uma década, muitos rumores foram criados sobre o BIM em campo nos últimos dois anos. Todos nós sabemos que isso significa modelagem de informações de construção, mas o que é realmente o BIM?

O BIM é o processo que abrange a geração e o gerenciamento das informações físicas e funcionais de um projeto. A saída do processo é o que nos referimos como BIMs ou modelos de informações de construção, que são, em última instância, arquivos digitais que descrevem todos os aspectos do projeto e apoiam a tomada de decisões ao longo de um ciclo de projeto.

Pensou-se que o BIM é nada mais do que modelagem 3D, mas na verdade envolve mais do que isso. O BIM e os subconjuntos de sistemas BIM e tecnologias semelhantes apresentam mais do que apenas 3D (largura, altura e profundidade), mas podem incluir dimensões adicionais como 4D (tempo), 5D (custo) e até 6D (operação as-built).

O BIM não tem mais volta no Brasil: Com o novo decreto assinado pelo Presidente Temer, no dia 17 de Maio, ficou instituída a Estratégia Nacional de Disseminação doBuilding Information Modellingno Brasil – Estratégia BIM BR, com a finalidade de promover um ambiente adequado ao investimento emBuilding Information Modelling- BIM e sua difusão no País.

Quando o BIM surgiu?

A ideia de BIM foi conceituada na década de 70 e foi inicialmente chamada de Building Description System (BDS) (Eastman et al., 1974).

O termo “modelo de construção” foi usado pela primeira vez em 1985 em um documento de projeto arquitetônico sobre desenho auxiliado por computador e desenho auxiliado por computador (Ruffle, 1985). E em 1992, o termo “modelo de informação de construção” foi usado pela primeira vez em um artigo que discutia a automação na construção (van Nederveen et al., 1992).

Não foi até 10 anos mais tarde, no entanto, quando os termos como modelagem de informações e modelo de informações de construção (incluindo a sigla BIM) se tornaram popularmente usados.

Foi em 2002, quando a Autodesk publicou um artigo intitulado “Building Information Modeling” e vários desenvolvedores de software e fornecedores se envolveram no campo e o termo foi padronizado para significar o nome comum da representação digital do processo de construção (Laiserin, 2008).

Outras terminologias de formato similar foram usadas por fabricantes diferentes – elas eram “Virtual Building” (Construções Virtuais) da Graphisoft e “Integrated Project Models” (Modelos de Projetos Integrados) da Bentley Systems.

A tecnologia que inspirou o BIM foi criada para mostrar que os sistemas poderiam apontar os pontos fortes dos desenhos de prédios e fornecer ferramentas para a elaboração dos projetos, a construção do edifício e sua operação, corrigindo pontos fracos e prevenindo problemas.

Esse conceito permitiu, ainda, a elaboração de outros softwares de construção, como o CAD (Computer Aided Design), que auxiliam na elaboração de projetos e desenhos técnicos associados.

Anos depois de seu desenvolvimento, inúmeras atualizações permitiram que o software seja usado por profissionais de diversas áreas simultaneamente.

Internacionalmente, desde 2012, todos os projetos públicos elaborados no Reino Unido já utilizam o BIM. Em Cingapura, essa utilização já é regular desde 2001.

No Brasil, o uso dessa tecnologia foi regulamentado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) em 2006, e vem ganhando adeptos desde então, graças aos benefícios que seu uso traz para as construções e elaboração de projetos.

Quais as áreas de atuação do BIM?

O BIM pode ser utilizado por profissionais de diferentes áreas de atividade, pois permite que todas as partes de um projeto sejam agregadas a ele, organizando assim todas as etapas da construção.

Com ele, arquitetos, eletricistas e outros profissionais envolvidos na elaboração de um projeto podem trabalhar simultaneamente em um projeto, construindo uma réplica virtual da obra.

Esses profissionais podem adicionar os dados em tempo real, incluindo informações de acordo com sua área de atuação, conferindo o andamento do projeto em tempo real.

O uso do BIM permite modelar paredes, especificando parâmetros e adicionar espessura, comprimento, altura e o material usado na parede, fabricantes dos materiais, custos, propriedades térmicas, acústicas, entre outros.

Quais os softwares mais utilizados sobre BIM?

Atualmente, o programa mais utilizado sobre o BIM é o Revit, da Autodesk. Desenvolvimento para trabalhar dentro do conceito BIM, o sofware permite que as disciplinas sejam integradas, unindo também as fases de projetos, aumentando a eficiência do planejamento.

A GRAPHISOFT® iniciou a revolução do BIM com o ArchiCAD®, o primeiro software BIM da indústria para arquitetos.

A GRAPHISOFT continua a liderar a indústria com soluções inovadoras, tais como o revolucionário GRAPHISOFT BIM ServerTM, o primeiro ambiente de colaboração BIM em tempo real a nível mundial. O GRAPHISOFT EcoDesignerTM, primeiro aplicativo de modelagem de energia totalmente integrado a nível mundial. E o GRAPHISOFT BIMxTM, líder mundial no ambiente BIM de apresentação interativa, também disponível para o iPad / iPhone.

Entretanto, o BIM é apenas uma ferramenta, e sua utilização e implementação nos escritórios de arquitetura vai além dos projetos de desenvolvimento e gestão de projetos de forma tradicional.

O conceito do BIM ultrapassa esses pontos, incluindo-se também aos profissionais envolvidos com o desenvolvimento de projetos.

Quais os diferenciais do BIM?

 

A utilização de soluções de modelagem de informações de construção no setor de construção resultou em um trabalho de melhor qualidade, maior velocidade e produtividade e menores custos para os profissionais de construção em termos de projeto, construção e operação de edifícios.

Maior qualidade.

O BIM permite flexibilidade na exploração e alterações no projeto do projeto ou no processo de documentação a qualquer momento, sem nenhum incômodo para a equipe de projeto. Isso resulta em tempo de coordenação e verificação manual minimizados que permitem que a equipe de projeto tenha mais tempo para resolver problemas reais de arquitetura. Ferramentas de modelagem comuns fornecem controle rigoroso sobre decisões técnicas e detalhadas relacionadas à execução de projetos. O registro digital de reformas de edifícios melhora o planejamento e o gerenciamento.

O uso do BIM traz grande qualidade aos projetos elaborados por escritórios de arquitetura, pois permite aos desenvolvedores avaliarem os materiais utilizados na construção, escolhendo as melhores opções e prevenindo problemas estruturais que poderiam resultar em prejuízos financeiros.

Maior velocidade.

O BIM permite que o design e a documentação sejam feitos simultaneamente em vez de serialmente. Cronogramas, diagramas, desenhos, estimativas, engenharia de valor, planejamento e outras formas de comunicação de trabalho são criados dinamicamente enquanto o trabalho está em andamento. O BIM permite a adaptação do modelo original a mudanças, como condições do local, etc.

O uso do Revit permite que os projetos sejam executados com muito mais rapidez, já que todas as etapas da construção são colocadas no software e alteradas em tempo real, de acordo com sua evolução.

O software permite ainda prever caso haja empecilhos que causem alguma demora na execução do projeto, ou seja necessário corrigir alguma fase da construção.

Custo mais baixo.

Usar o BIM permite que mais trabalho seja feito por uma equipe menor. Isso significa custos mais baixos e menos problemas de comunicação. Menos tempo e dinheiro são gastos no processo e na administração devido à maior qualidade dos documentos e melhor planejamento da construção.

No Brasil, o uso do BIM tem permitindo aos projetistas e arquitetos imprimir uma nova qualidade na administração e no planejamento de suas obras.

Essa tecnologia permite não apenas automatizar os processos, como também economizar tempo e reduzir os custos durante uma obra.

Além disso, o uso do BIM traz diversas vantagens aos executores de obras públicas e privadas. Conheça abaixo algumas delas.

Informação

Os dados compartilhados em tempo real pelo Revit ajudam os envolvidos na elaboração de projetos a conhecer exatamente o andamento da obra, já que o projeto é alimentado com informações vindas de profissionais de várias especialidades.

Controle

Uma das grandes vantagens do BIM é o controle que o software permite aos usuários. Esse controle possibilita saber quando o projeto será concluído, quanto dinheiro será preciso empregar na obra e, inclusive, se o orçamento ficará dentro ou fora do estimado antes do início da obra.

O Revit permite ainda que os envolvidos nesse projeto tenham total controle de todas as etapas, verificando se a construção está atrasada, dentro do prazo ou atrasada, e corrigindo eventuais atrasos para impedir que o projeto estoure o orçamento inicial.

O planejamento propiciado pelo BIM permite ainda que os projetistas sejam capazes de manejar eventuais imprevistos, garantindo que nada fuja do controle no momento da execução, prevenindo prejuízos e queixas de eventuais contratantes.

Com esses motivos, o Revit vem se convertendo em um programa capaz de transformar a rotina e o método de trabalho de desenvolvimento dos projetos em escritórios de Arquitetura, Engenharia, Construtoras e Incorporadoras.

Os recursos avançados existentes no software permitem que as mesmas tarefas sejam realizadas no sistema CAD, com mais qualidade e eficiência.

No entanto, apesar das inúmeras vantagens, alguns escritórios ainda relutam em utilizar o Revit, usando o AutoCAD em seus projetos.

Uma das razões para essa decisão é que a mudança completa do software utilizado nos escritórios obrigaria uma paralisação nas tarefas para que todos os funcionários frequentassem as aulas de imersão no Revit, o que se tornaria totalmente inviável.

No entanto, o programa vem ganhando inúmeros adeptos, o que só comprova sua capacidade em otimizar tarefas.

Potencial futuro do sistema BIM

 

O BIM é uma tecnologia relativamente nova, especialmente no setor de construção, uma indústria tipicamente lenta para se adaptar às mudanças. Os proponentes do BIM afirmam que, no futuro próximo, oferecerá muito valor nos seguintes aspectos:

  • Melhoria de visualização
  • Melhoria da produtividade através da recuperação fácil de informações.
  • Aumento da coordenação de documentos de construção.
  • Vinculação de informações vitais, como fornecedores de materiais específicos, localização dos detalhes e quantidades necessárias para a apresentação de propostas.
  • Aumentando a velocidade de entrega.
  • Reduzindo os custos globais
    A modelagem de informações de construção e as tecnologias de quantidades automatizadas podem fornecer ao setor oportunidades consequentes para elevar a qualidade do setor a um nível muito mais alto e sofisticado. Tendo a capacidade de simular uma variedade de opções de dados com consultoria de custo em tempo real e continuar ao longo de fases detalhadas de projeto, construção e operação, o BIM certamente colocará as práticas de construção em um valor mais alto.

O mercado BIM fora do Brasil

Escrevi este artigo para mostrar como o sistema BIM já funciona de maneira mais regular fora do Brasil. Vale a pena a leitura! Acesse aqui.

Casos de sucesso usando o BIM

A aceitação do BIM no setor pode não ser tão difundida como o governo gostaria, mas não há escassez de boas práticas e inovações fora do Brasil.

Vamos mostrar aqui alguns exemplos de projetos realizados com BIM em 2017:

Slussen Lock, Estocolmo – BIM desbloqueia reconstrução sueca
Cliente: Cidade de Estocolmo
Empreiteiro principal: Skanska
Ferramentas BIM: BIMEye, Autodesk Navisworks, Revit

Bloqueio Slussen, localizado entre as ilhas de Södermalm e Gamla Stan, a Cidade Velha de Estocolmo, foi reconstruída quatro vezes desde 1642. A instalação atual (construída no século passado) estava em péssimo estado de ruína que foi tomada a decisão de demolir. e reconstruí-lo a partir do zero a um custo de € 1,2 bilhão (£ 1 bilhão).

O projeto, da Foster + Partners, foi adaptado para atender às necessidades dos habitantes das cidades modernas, incluindo mais locais, maior espaço para pedestres, ciclistas e transporte público, e para fornecer água potável.

A consultoria Tikab, com sede na Suécia, é o gerente de projetos BIM do esquema – definiu todos os métodos de trabalho BIM e os aspectos de entrega de informações. O projeto é considerado o maior de todos os tempos para produzir todas as suas informações de projeto digitalmente durante a fase de projeto, sem desenhos em papel.

A plataforma de gerenciamento de dados BIM baseada em nuvem BIMEye foi usada para planejar e gerenciar a complexa operação de empilhamento das fundações da fechadura. Um total de 3.600 estacas de aço serão instaladas, cada uma descendo 70 m para atingir o leito rochoso no fundo do mar. O velho empilhamento não era profundo o suficiente para alcançar o leito rochoso, causando subsídios e danos aos edifícios.

Leia mais sobre o projeto aqui.

39 Victoria Street, Londres – O trabalho de Willmott Dixon por DoH
Cliente: Departamento de Saúde
Contratante Líder: Willmott Dixon Interiors
39 Victoria Street é um projeto para o Departamento de Saúde concluído por Willmott Dixon Interiors (WDI) em agosto de 2017. A empresa ganhou o “Melhor Projeto BIM Global” nos recentes prêmios RICS por seu trabalho.

O projeto envolveu um ajuste na Categoria B, o que significa que inclui todos os equipamentos e acessórios do prédio de 11 andares usando a equipe de design interna da empresa. O edifício é composto por um térreo com grandes salas de reuniões, restaurante e serviço ao cliente. Os oito primeiros andares consistem em escritórios e salas de reunião em plano aberto, enquanto o nono andar possui escritórios amplos e um escritório.

O ajuste de 12,5 milhões de libras foi entregue como um contrato de projeto e construção dentro da estrutura do Scape 3. Os requisitos do cliente consistiam em implementar o Nível 2 do BIM de acordo com o mandato do governo.

O uso de BIM e VR  permitiu entregar o projeto dentro do prazo e do orçamento. Eles foram capazes de preparar as apresentações para o cliente refletindo o trabalho no local, evitando mudanças durante a construção. O envolvimento do BIM com os subcontratados foi um grande desafio devido à falta de experiência. No entanto, isso melhorou ao longo do projeto.

Saiba mais sobre o projeto aqui