Home > Design de Interiores > A importância do projeto executivo

A importância do projeto executivo

///
Comments are Off

O que é um projeto Executivo?

Nos dias de hoje, para se tornar um profissional completo no ramo da Arquitetura, é necessário que este tenha conhecimento de todo o processo na elaboração do trabalho de sua profissão, incluindo o domínio de projeto executivo.

projeto-executivo-exemplos

exemplo de plantas do projeto executivo

Para o Arquiteto, independente do setor que ele venha a trabalhar, privado, público ou empresarial, é essencial que ele detenha domínio completo sobre todas as fases de seu projeto, ou seja, o Estudo Preliminar, o Anteprojeto, o Projeto Legal e por fim o Projeto Executivo.

Devido N fatores, este conhecimento nem sempre conseguimos adquirir em sua totalidade ou absorver em profundidade e eficiência durante o período da faculdade; confira o artigo anterior sobre as resoluções do MEC e o ensino nas faculdades para compreender melhor o assunto.

Sei que isso já foi falado aqui várias vezes, mas volto a repetir que o papel da faculdade durante os 5 anos de estudo é criar no aluno um senso crítico e um espírito pensante, sendo que este senso acontece primordialmente durante a fase do estudo preliminar e do anteprojeto.

É nesta fase de exercícios diários em sala de aula que o professor consegue embutir uma ideia, uma lógica, um repertório na mente do aluno, de modo a prepará-lo para o mercado de trabalho.

 

A universidade apresenta um panorama geral das fases do projeto, focando primeiramente em um ponto que a princípio é a mais frágil e que necessita de mais atenção, ou seja, a fase do desenvolvimento do projeto em si, para que depois o aluno adentre as demais fases de naturezas mais burocráticas e que, apesar de envolverem decisões críticas de projeto, são mais técnicas, repetitivas e condicionadas pelas fases iniciais.

Por esta questão e pela “falta de espaço” na grade curricular que as faculdades acabam delegando para o mercado de trabalho esse aprendizado técnico, ou seja, o aluno acaba aprendendo por si só nos estágios e nos escritórios de arquitetura o que lhe falta conhecer para desenvolver por completo parte de sua profissão.

Portanto, quem deseja ingressar ou se capacitar para trabalhar com Arquitetura, seja ela de Edificações ou de Interiores deve-se ter conhecimentos específicos sobre como produzir esses desenhos do projeto executivo, que geralmente são desenhos com muito mais riqueza de detalhes que um estudo preliminar.

E em alguns casos para ter conhecimento sobre a aprovação e realização de reformas, no caso dos condomínios fechados, sejam eles horizontais ou verticais, é preciso se especializar no assunto.

Por que o projeto executivo é tão importante?

Porque é o projeto executivo quem VIABILIZA A CONSTRUÇÃO DA OBRA!

Projeto executivo para arquitetura de edificações

Nos desenhos do projeto executivo de obra constam os detalhes de execução de cada item a ser construído, como os acabamentos utilizados, as louças e metais indicados, o sistema construtivo, os tipos de portas e janelas utilizadas, os pontos elétricos e hidráulicos, a estrutura do telhado e sua cobertura, etc.

Só com o projeto executivo em mãos será possível que o proprietário possa buscar, por exemplo, por engenheiros, para fazer os cálculos estruturais e de instalações hidro-sanitárias, um orçamento do custo da obra, orçar mão-de-obra em geral e, por fim, elaborar um cronograma de desenvolvimento da obra e de utilização dos recursos financeiros.

Lembrando sempre que o arquiteto é responsável por realizar a compatibilização entre seu projeto de arquitetura e os projetos complementares, como elétrico, hidro-sanitário, estrutural, de automação, sistemas de aquecimento e refrigeração, entre outros.

Sem um projeto executivo completo e bem feito é pouco provável que um projeto saía do papel e se torna realidade com eficiência, minimizando problemas e evitando gastos desnecessários.

Não existe uma fórmula pronta que possa ser aplicada a todos os tipos de projetos. Para se elaborar os projetos executivos, o que existe são sínteses de experiências em arquitetura adquiridas ao longo do tempo por um certo profissional, que geralmente é passada de um para outro ao longo do tempo.

Ou ainda por força da necessidade o profissional acaba por desenvolver o seu próprio método de projeto na criação de desenhos, com base nas informações mínimas necessárias para tal. Contudo é necessário que ele conheça o mínimo necessário a fim de ao menos iniciar o trabalho.

O conhecimento dos materiais e técnicas construtivas é premissa básica para a concepção de um bom projeto executivo. De nada serve um detalhamento desenhado à perfeição se a mão-de-obra que o executa não possui formação técnica para compreendê-lo corretamente.

Muitas vezes uma visita ao canteiro de obras e o simples diálogo com os executores substitui diversas pranchas de detalhamento.

Veja a seguir um exemplo de um projeto executivo de arquitetura de uma única planta baixa e observe a quantidade de informações que ele possui.

Por isso os projetos executivos são muitas vezes temidos pelos desenhistas, quando não, são deixados de lado ou repassados para terceiros realizarem sua elaboração.

Ele exige muito conhecimento de técnica construtiva. Fora as demais plantas de Arquitetura, todas detalhadas e especificadas, as vistas e cortes com destaque para as áreas molhadas / molháveis.

 

projeto-executivo-arquitetura

 

Para cada desenho, uma escala especifica: plantas baixas em geral utilizam escalas maiores como a 1:50 e detalhamento de vistas 1:25 ou 1:20. Outros desenhos mais específicos podem chegar a escala 1:1, como um detalhe de esquadria por exemplo.

Os projetos executivos também se dividem entre o PROJETO DE ARQUITETURA E O DE INTERIORES, cada um com uma finalidade diferente.

O projeto executivo de arquitetura visa a construção de uma edificação independente do uso, desde a ocupação do lote e da fundação, até a entrega final sem mobiliário. Já o PROJETO EXECUTIVO DE INTERIORES, visa todo o detalhamento da decoração dos ambientes internos da edificação, também independente do uso que lhe será dado.

Projeto executivo para arquitetura de interiores

Para quem deseja trabalhar com arquitetura de interiores o foco é outro, ou seja, não vamos desenvolver desenhos da arquitetura de edificação em si, a área externa, e sim o que há de interno nela.

Veja também sobre esses assuntos nos artigos anteriores sobre as diferenças entre o Arquiteto e o Designer de Interiores para que você possa entender melhor o que é atribuição de cada profissional.

Independente se o projeto de arquitetura de interiores for para uma residência ou para um apartamento, ele deve possuir alguns desenhos básicos.

Fazem parte do desenho de Projeto Executivo para Arquitetura de Interiores: 

Plantas Baixa

Executivo da arquitetura com as informações determinantes para elaboração da fase seguinte que é o estudo preliminar da ambientação, a criação do layout mais precisamente falando, que uma vez finalizado, podemos então dar prosseguimento aos demais projetos.

  • O anteprojeto da ambientação;
  • Layout Especificado de Ambientes;
  • Pontos de Interferências, caso haja alteração do layout original da arquitetura, mudanças ou acréscimos de pontos de elétricos, alterações de pontos de hidráulica, gás, ar condicionado, telefonia, logica, automação, segurança entre outros;
  • Planta de Paginação de Piso;
  • Planta de Forro (gesso);
  • Planta da Iluminação (projeto luminotécnico).

Vistas e Cortes

É imprescindível que além das plantas ricamente detalhadas sejam criadas as vistas dos ambientes a serem trabalhados:

  • Vistas detalhadas de cada ambiente;
  • Cortes detalhados quando necessário;
  • Detalhes do Forro;
  • Detalhe Iluminação;
  • Detalhes do Piso;
  • Ar condicionado.

A seguir uma imagem do projeto executivo original de um empreendimento onde foi possível desenvolver um novo projeto baseado nas necessitadas do cliente.

É necessário saber ler e entender a função dessa planta para que seja possível chegarmos no resultado final que é o anteprojeto.

projeto-executivo-apartamento

 

Veja a seguir o projeto final do anteprojeto de um apartamento com a nova configuração do layout e já com toda ambientação.

Observe que os itens básicos de mobiliário e de interferências arquitetônicas já estão definidos e toda a problemática de fluxo e outras questões técnicas referentes ao design do ambiente estão pontuadas e solucionadas.

projeto-executivo-anteprojeto

 

Desse ponto em diante é que desenvolvemos as demais plantas especificas originarias do anteprojeto como:

Planta de Paginação de Piso

projeto-executivo-piso

 

A Planta de Forro (gesso)

projeto-executivo-forro

 

A Planta da Iluminação (projeto luminotécnico)

projeto-executivo-luminotecnico

E por ai vai…

Após essa fase inicial damos sequência com a preparação das vistas dos ambientes.

Seguem algumas imagens para ilustrar o nível de detalhe que é necessário para desenvolver os trabalhos com eficiência.

Vistas da cozinha planejada

vistas-cozinha-planejada

Vista das salas de estar, jantar e tv

vistas-sala-estar-tv

projeto-executivo-quarto

 

Esses são só alguns dos exemplos dos tipos de detalhamento de vistas dos ambientes que são exigidos na concepção dos projetos executivos de arquitetura de interiores.

As áreas molháveis / molhadas são um item muito importante também no caderno de desenhos. Como trata-se de uma área onde passam muitas tubulações, é preciso detalhar cada ponto, principalmente no projeto executivo da arquitetura.

Projeto da decoração de um lavado

vista-lavabo

 

Projeto da decoração de uma suíte

vista-banheiro-casal

 

Viu só quanto detalhe?

Sem conhecer sobre métodos construtivos, ou sem ao menos ter uma metodologia de trabalho ou conhecimento prévio sobre o assunto, fica um pouco difícil para o jovem arquiteto iniciante ingressar na carreira de forma mais promissora, até mesmo se candidatar a uma vaga de estágio em um escritório de arquitetura ou uma construtora.

 

Por isso busque sempre por informação, avalie seu nível de conhecimento e capacite-se para estar apto a ser um profissional completo.

Não seja comparado aos milhares de amadores que sabemos que existem no mercado.