Home > Projetos de Arquitetura > Cálculo de iluminação e ventilação de um ambiente

Cálculo de iluminação e ventilação de um ambiente

Calculo de Iluminação e Ventilação

Ao iniciarmos um projeto é sempre necessário pensarmos no cálculo de iluminação e ventilação de um ambiente.

Seja ele pequeno ou grande, existe um cálculo através do qual podemos encontrar a fração de luz e ar ideal para o uso confortável daquele local. Neste artigo entenderemos a necessidade de se projetar corretamente a iluminação e a ventilação de um ambiente.

Vão de iluminação e ventilação

Todo compartimento deve ter, em plano vertical, ao menos abertura para o exterior. Essas aberturas devem ser dotadas de persianas ou dispositivos que permitam a renovação de ar.

Nos compartimentos destinados a dormitórios não será permitido o uso de material translúcido, pois é necessário assegurar nesse compartimento sombra e ventilação simultaneamente.

As áreas dessas aberturas serão proporcionais às áreas dos compartimentos a iluminar e ventilar, e variáveis conforme o destino dos mesmos cômodos.

As frações que representam as relações entre áreas de piso e de esquadrias que apresentamos são as mínimas, isto é, são as toleradas pelas posturas governamentais. Por isso, sempre que houver possibilidades econômicas, os vão devem ter as maiores áreas possíveis.

Dormitórios(local de permanência prolongada, noturna). A área das aberturas não deverá ser inferior a 1/6 da área do piso.

Cálculo de iluminação e ventilação

Vamos usar o seguinte exemplo:

Um quarto de 3m x 4m possuí 12 m² de área, por seguinte não poderá ter janelas cuja área seja menor que 1/6 de 12 m², ou seja, 2 m².

Uma janela de 1 m de largura por 1,50 m de altura tem uma área de 1,50 m² o que é insuficiente no nosso caso, pois o mínimo é de 2 m² .

Duas janelas resolveriam o caso, pois teríamos a área das aberturas igual a 3 m².

Cálculo de iluminação e ventilação em locais de permanência diurna

Em sala de estar, refeitórios, copa, cozinha, banheiro, WC, etc, a área das aberturas não deverá ser inferior a 1/8 da área do piso.

Essas relações serão de 1/5 e 1/7, respectivamente, quando os vãos abrirem para áreas cobertas, alpendres, pórticos ou varandas e não houver parede oposta a estes vãos a menos de 1,50 m do limite da cobertura dessas áreas.

Essas relações só se aplicam às varandas, alpendres e marquises, cujas coberturas excedam a 1 m e desde que não exista parede nas condições indicadas.

As relações acima passarão a ¼ e 1/5, respectivamente, quando houver a referida parede a menos que 1,50 m do limite da cobertura, pórtico ou alpendre.

Cálculo de iluminação e ventilação em dormitórios

As coberturas nos dormitórios que derem para áreas cobertas são consideradas de valor nulo para efeito de iluminação e ventilação.

Em hipótese alguma serão permitidas aberturas destinadas a ventilar e iluminar compartimentos com menos de 0,60 m².

Também não serão considerados como iluminados e ventilados os pontos que distarem mais de 2 vezes o valor do pé direito quando o vão abrir para área fechada, e 2,5 vezes nos demais casos.

A iluminação e a ventilação por meio de claraboias serão toleradas em compartimentos destinados a escadas, copa, dispensa, oficina e armazém para depósito, desde que a área de iluminação e de ventilação efetiva seja igual à metade da área total do compartimento.

Quando a iluminação do compartimento se verificar por uma só de suas faces, não deverá existir nessa face pano de parede que tenha largura maior que duas vezes e meia a largura da abertura ou a soma das aberturas.

A cada compartimento, uma das vergas das aberturas, pelo menos, distará o teto no máximo de 1/6 o pé direito desse compartimento, salvo no caso do sótão quando as vergas distam do teto no máximo 0,20 m .

Quando houver bandeira, elas serão basculantes.

 

 

As escadas serão iluminadas em cada pavimento por meio de janelas ou de vitrais rasgados o mais alto possível, que podem ser parcialmente fixos.

Deixamos de fazer referência à iluminação e à ventilação indiretas e artificiais, porque constituem em sua maioria casos especiais.

Podemos também verificar que a iluminação média horizontal corresponde a uma região situada a 1/3 da janela em relação à profundidade do compartimento e situada em um plano que passa a um metro de altura do piso.

As janelas devem, se possível, ficar situadas no centro das paredes por uma questão de equilíbrio na composição do interior.

Quando houver mais de uma janela em uma mesma parede, a distância recomendável entre elas deve ser menor ou igual a ¼ da largura da janela, a fim de que a iluminação se torne uniforme.

Com janelas altas conseguimos iluminar melhor as partes mais afastadas da abertura.

A altura de 0,30 m para as vagas ou a inexistência delas permite maior iluminação no sentido da profundidade.

As oficinas bem iluminadas geralmente possuem janelas altas, de pequena altura de vaga e de grande altura de peitoril.

Os brise-Soleil horizontal ou vertical, móvel ou fixo atenua a incidência dos raios solares sobre as fachadas.

FONTE: L. OBERG

Você também pode gostar de
curso-de-construções-sustentáveis
Construções Sustentáveis, um curso 4 em 1
Exercício Prova SketchUp e V-Ray
A grande dúvida. Pendente? Lustre? Ou Luminária? Quais as diferenças?

2 Respostas

  1. Lucas Rangel de Oliveira

    Olá, no projeto de ventilação, este deve ter suas janelas voltadas para o ambiente externo. Assim gostaria de saber até que ponto um ambiente pode ser considerado como externo (para o caso de sacadas e garagens, por exemplo). Obrigado pela atenção.

Deixe um Comentário