Home > Engenharia e Construção Civil > Construção Civil: Manutenção no decorrer do Projeto!

Construção Civil: Manutenção no decorrer do Projeto!

NOVO-PACOTE-8-ARTE-500x550

A IMPORTÂNCIA DA MODELAGEM DO PROCESSO DE PROJETO PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DE EDIFICAÇÕES 

RESUMO

 Considerando a segmentação e o seqüenciamento das atividades de projeto do produto edificação, presentes na construção civil convencional, bem como, a falta de interação e comunicação entre os diversos agentes envolvidos no processo, mudanças fundamentais vêm sendo propostas nos últimos anos, no sentido de promover o desenvolvimento integrado de projetos e do binômio projeto/execução, o que é fundamental à sobrevivência competente, tanto técnica quanto financeira, das empresas do setor. Contudo, depreende-se não ser fácil a tarefa de criar as condições organizacionais necessárias à implementação de tais mudanças, sobretudo porque, a grande maioria das empresas de pequeno e médio não possuem seu processo de projeto modelado, o que dificulta ou impossibilita uma visão global do mesmo.

1. INTRODUÇÃO

Tendo em vista que muitos dos problemas relacionados à falta de qualidade em edificações, têm como causa principal a falta de qualidade no processo de projeto – normalmente desenvolvido de forma não planejada, segmentada e seqüencial, sem uma visão abrangente e integrada do binômio projeto/execução, e com evidente ausência de interação e comunicação entre os diversos agentes envolvidos –, construtoras e incorporadoras brasileiras, seguindo a tendência global, começam a buscar, ainda que de forma incipiente, metodologias de gestão da qualidade do projeto, no sentido de modificar o modelo tradicional e garantir a qualidade de seus produtos e processos, e conseqüentemente a satisfação de seus clientes. Nesse contexto, a incorporação da filosofia de trabalho da Engenharia Simultânea – tratamento simultâneo de restrições de projeto e da manufatura; paralelismo das atividades de projeto; foco na qualidade, custo e cronograma de desenvolvimento; ênfase na satisfação do consumidor; configuração de equipe multidisciplinar; consideração do ciclo de vida do produto; etc. –, e também do Lean Design – oriundo da primeira, tem se mostrado como uma importante alternativa para o desenvolvimento de edificações. Alguns autores (Fabrício et alii, 1998a e 1998b; Andery, 2000) que defendem a mudança das atuais formas de condução de projetos de edificações, acenam para:

(i) a realização em paralelo

de várias etapas do processo, em especial, o desenvolvimento integrado de projetos do produto e para produção;

(ii) o estabelecimento de equipes multidisciplinares, formadas por projetistas, usuários e construtores, em especial os engenheiros de obras;

(iii) uma forte orientação para a satisfação dos clientes e usuários;

(iv) a padronização das formas de apresentação e documentação do projeto;

(v) a adoção de procedimentos para coleta de dados durante a execução e após a entrega das obras, que torne possível a retroalimentação dos projetos. Ou seja, apontam para um novo paradigma na construção civil: o desenvolvimento integrado de edificações. Contudo, para que essas mudanças possam ser implementadas com sucesso, a empresa – além de um ambiente propício e de ferramentas, técnicas e metodologias de trabalho que suportem a execução do processo – precisa antes de tudo, conhecer e ter explícito a forma com que o processo é executado, ou seja, ter o seu desenvolvimento de produto modelado, permitindo, uma visão global do mesmo: o que deve ser feito (projetos, etapas, atividades, tarefas), por quem (os envolvidos, suas funções e responsabilidades, interações), quando (a que tempo e a que a hora, relações de precedência), como (informações ou documentos de entrada; procedimentos, ferramentas e/ou tecnologias utilizadas no processamento das informações; informações ou documentos de saída; forma de controle), e onde (em que local, em que tipo de situação, por quais meios).

 

SKT

2. PORQUE MODELAR O PROCESSO DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES

 Segundo Araújo et alii (2001), uma etapa comum a qualquer esforço de melhoria de processos é a modelagem ou levantamento do processo atual onde o foco é explicitar o processo que está definido e não o que poderá ser.

Entretanto, como descrito anteriormente, modelos para o gerenciamento do processo de projeto de edificações ainda são considerados incipientes. “Daqui se depreende a necessidade de se entender… como se dá na construção civil o processo de desenvolvimento de novos produtos, em especial no subsetor edificações. Essa deve passar a ser uma atividade crítica e essencial também fora dos meios acadêmicos.” (Andery, 2000). Dessa forma, os objetivos, ou motivações, que justificam a modelagem do processo de projeto de edificações incluem:

  • • Estabelecer e nivelar o entendimento sobre o processo de desenvolvimento do produto. • Explicitar o know-how da empresa.
  • • Servir de base para a tomada de decisões sobre operações e a organização da empresa.
  • • Servir como base para planejar e especificar funções, informações, comunicação, etc.
  • • Permitir uma maior eficiência na seleção, treinamento e adaptação de novos contratados ao processo de desenvolvimento praticado pela empresa.
  • • Melhorar a interação e a comunicação entre os intervenientes no processo na medida em que permite racionalizar e garantir o fluxo de informações.
  • • Servir como base para planejar o registro dos conhecimentos para uso posterior.
  • • Melhorar o processo de planejamento de novos empreendimentos e projetos (previsão de recursos, de riscos, etc.).
  • • Servir como base para a escolha e o desenvolvimento de sistemas computacionais de suporte ao processo.
  • • Manter o padrão das atividades executadas pelos diversos projetistas através do estabelecimento de procedimentos internos mais consistentes com a realidade das áreas envolvidas, facilitando também as atividades de revisão e compatibilização de projetos, bem como, de implantação de certificação ISO, etc.
  • • Servir como base para simulação do funcionamento do processo de projeto.
  • • Identificar problemas e promover melhorias no processo de desenvolvimento praticado.

Por um lado, a relevância da modelagem do processo de projeto de edificações está em permitir às empresas, através de uma visão abrangente e integrada do trabalho de desenvolvimento de produtos, melhorar e até redefinir o processo praticado atualmente. Por outro, está na melhoria real e imediata do gerenciamento do processo, na medida em que:

(i) surpresas podem ser evitadas durante a execução dos trabalhos;

(ii) situações desfavoráveis podem ser antecipadas, para que ações preventivas e corretivas possam ser tomadas antes que essas situações se consolidem como problemas;

(iii) as decisões são agilizadas, já que as informações estão estruturadas e disponibilizadas;

(iv) a alocação de pessoas, equipamentos e materiais necessários é otimizada. Consequentemente, os benefícios da modelagem do processo de projeto de edificações têm reflexos diretos sobre o sucesso do projeto, tanto no aspecto técnico – ser concluído dentro do tempo e do orçamento previsto, ter utilizado os recursos eficientemente e ter atingido a qualidade e a performance desejadas –, quanto no aspecto organizacional – ter sido concluído com o mínimo possível de alterações em seu escopo, ter sido aceito sem restrições pelo contratante ou cliente, ter sido empreendido sem que ocorresse interrupção ou prejuízo nas atividades normais da organização, não ter agredido a cultura da organização (Vargas, 2000).

3. COMO REALIZAR A MODELAGEM

 Segundo Araújo et alii (2001), modelar processos e atividades significa identificar todos os insumos que fazem parte do cenário do desenvolvimento do produto, e entender seu inter-relacionamento, precedências, contextos, etc. Contudo, antes de iniciar o levantamento, é imprescindível que a terminologia empregada para este fim, esteja entendida e acordada entre os participantes do processo de modelagem e os envolvidos no desenvolvimento do produto. Seguindo a terminologia empregada por Cruz (1998) e Araújo et alii (2001), os seguintes termos podem ser usados para descrever o desenvolvimento de uma edificação em seus diversos níveis: Processo Empresarial → Processo → Subprocesso → Atividade → Tarefa.

O primeiro nível é conhecido por processo empresarial. Uma empresa ligada à construção de edificações pode ter definidos vários processos empresariais, como por exemplo: análise de mercado, planejamento, projeto, suprimentos, gerenciamento e execução de obras, operação e manutenção, etc. Segundo Araújo et alii (2001), em alguns casos, e com vistas a facilitar o mapeamento do processo empresarial dentro da organização que o executa, é possível desmembrar o mesmo em inúmeros processos paralelos.

Por exemplo, o processo de desenvolvimento de uma edificação é composto de diversos processos paralelos que tem como escopo o desenvolvimento das diversas partes e sistemas que compõem o produto: processo de desenvolvimento do projeto arquitetônico, de fundações, de estruturas, das instalações prediais – elétricas, mecânicas e hidrossanitárias –, dos projetos para produção, etc. Cada um dos processos paralelos, por sua vez, pode ser decomposto em subprocessos, que nada mais são que agrupamentos de atividades afins. No processo de desenvolvimento de uma edificação, por exemplo, os seguintes subprocessos genericamente são aplicáveis a todas as partes e sistemas: Levantamento → Programa de Necessidades → Anteprojeto → Projeto Básico → Projeto para Execução.

Abaixo desse nível estão as atividades, geralmente realizadas por uma célula de trabalho (em equipe ou individual), com entradas e saídas bem definidas. Por exemplo: gerar plano de trabalho para a equipe; executar cálculo de esforços nas estruturas; etc. Por último, abaixo do nível de atividades tem-se o nível de tarefas, que envolve operações (passos) de curta duração, sempre realizadas por uma única célula de trabalho, geralmente com um único elemento. Por exemplo: entrar dados do item na tela do sistema de cadastro; desenhar uma parte de um sistema; executar um passo do cálculo de esforços nas vigas.

Assim, para se chegar aos objetivos estabelecidos para a modelagem do processo de desenvolvimento de edificações, estabelece-se como necessárias e suficientes para a descrição de processos e atividades, as seguintes informações a serem levantadas (Quadro 1):

1

 

  Quadro 1. Quais informações precisam ser levantadas. Fonte: Adaptado de Araújo et alii (2001). Realizado o levantamento, todos os processos e atividades descritos devem ser transcritos para o ambiente computacional. Nesse sentido, no que se refere às ferramentas computacionais disponíveis para suportar a etapa de modelagem as is, há centenas de opções no mercado, desde simples construtoras de fluxos (Flow Charter®, Visio®, etc.), até aquelas que envolvem metodologias, como por exemplo a IDEF0.

 4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

 Buscando dar um primeiro passo na tentativa de “montar os fragmentos, listar e organizar todas as peças” e divisar o “quadro geral” do desenvolvimento de edificações, encontra-se em andamento, junto ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, da Universidade Federal de Santa Catarina, uma pesquisa de tese de doutorado, na linha de pesquisa de Sistematização do Conhecimento para o Projeto de Produtos, da área de concentração de Gestão do Design e do Produto, cujo objetivo consiste na modelagem do processo de projeto atual, onde o foco, primeiramente, é conhecer e explicitar a forma como o processo é executado na prática, para posteriormente poder melhorá-lo, com base nos conhecimentos da Engenharia Simultânea e do Gerenciamento de Projetos, ou seja, modelá-lo como poderá ser.

Espera-se assim, a exemplo de Silva (1998), passar do modelo “caixa preta”, onde não se consegue observar o modo operativo, para um modelo “caixa transparente”, no qual se pode observar e conhecer o modo de funcionamento, e conseqüentemente, aperfeiçoá-lo (Figura 1).

 2

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 ARAÚJO, C. S.; MENDES, L. A. G.; TOLEDO, L. B. Modelagem do desenvolvimento de produtos: caso EMBRAER – experiência e lições aprendidas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO, n.3, 2001, Florianópolis. Anais… Florianópolis, SC : NeDIP–CTC/UFSC, 2001. CD-ROM : il. ANDERY, P. R. P. Desenvolvimento de produtos na Construção Civil: uma estratégia baseada no Lean Design. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO, n.2, 2000, São Carlos. Anais… São Carlos : UFSCar, 2000. CD-ROM: il. FABRÍCIO, M. M.; BAÍA, J. L.; MELHADO, S. B. Estudo da seqüência de etapas do projeto na construção de edifícios: cenário e perspectivas. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, n.18, 1998, Niterói. Anais… Niterói : UFF.TEP, 1998a. CD-ROM: il. _____. Estudo do fluxo de projetos: cooperação seqüencial x Engenharia Simultânea. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GESTÃO DA QUALIDADE E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO, n.1, 1998, Recife. Anais… Recife : GEQUACIL/DPE/DEC/POLI/UPE, 1998b. p.300-309. SILVA, E. Uma introdução ao projeto arquitetônico. Porto Alegre : Ed. da Universidade/UFRGS, 1998. VALERIANO, D. L. Gerência em Projetos: pesquisa, desenvolvimento e engenharia. São Paulo : Makron Books, 1998. VARGAS, R. V. Gerenciamento de Projetos. Rio de Janeiro : Brasport, 2000.

max

Aproveite e aprenda comigo tudo o que eu aprendi no estagio e faça a diferença na sua carreira! Coloquei tudo no meuE-BOOK! Que você pode adquirir na minha loja por um precinho super camarada! Afinal de contas são conhecimentos de anos de experiencia, tudo compilado pra você aprender em pouquíssimo tempo! Pelo menos em muuuuuito tempo do que eu levei pra aprender! Ah se eu tivesse um e-book assim pra mim na minha época… teria facilitado taaanta coisa!!!

Então… Quer aprender a fazer os diferentes projetos de prefeitura e ainda aprová-los?

Pois conheça meu curso em DVD + e-book Projeto de Prefeitura:

aarquiteta-4-em1

Saiba mais clicando na imagem a cima!

Gostou deste post? Curta nossa página e compartilhe-a com os amigos no facebook: https://www.facebook.com/Aarquiteta

Assine o nosso blog na barra lateral a sua direita e nosso canal do youtube:  http://www.youtube.com/user/lucpaixao para receber as novas postagens de videos em primeira mão e ainda concorrer a sorteios!

Cadastre-se em minha loja de cursos e faça o download de materiais e bibliotecas totalmente gratuitos:  http://www.aarquiteta.com.br/loja

Me ajude a divulgar esse trabalho! Assim como você outras pessoas podem se interessar!

MUITO OBRIGADA!

Luciana Paixão

A Arquiteta

 

 

 

Deixe um Comentário