Home > Carreira Profissional > Quanto e como cobrar pelos serviços de arquitetura e interiores

Quanto e como cobrar pelos serviços de arquitetura e interiores

Um dos assuntos que mais geram dúvidas em meio aos profissionais da construção civil, engenheiros, arquitetos e designer de interiores, é saber o quanto cobrar em um projeto de arquitetura ou de interiores.

Para o profissional de arquitetura, no âmbito de projetos, há diversas opções para a definição do valor de um projeto de arquitetura.

Há também muita confusão sobre como escolher a metodologia de cálculo e, em um segundo momento, como executá-la.

Cálculos malfeitos podem causar prejuízos, se subestimados, ou levar à perda do contrato, quando acima da expectativa do cliente.

“Não é barato fazer um projeto, não pode ser uma coisa barata. É nessa hora que começam os grandes problemas. E não é raro encontrar profissionais pagando para trabalhar”, aponta Eduardo Nardelli, presidente da AsBEA e sócio da Artifício Arquitetura e Planejamento.  (Fonte: Revista PINI)

Pratica de mercado dos serviços de arquitetura

Segundo censo realizado pelo CAU/BR, o método de cobrança mais adotado é o por metro quadrado de construção (35,70% das respostas).

“Principalmente entre os jovens arquitetos e em projetos de programas mais simples, como residências e pequenos prédios comerciais”, comenta o presidente da entidade, Haroldo Pinheiro. (Fonte: CAU)

Para saber o valor do metro quadrado de um projeto de arquitetura e de interiores você deve sempre consultar a média de valor de serviços de profissionais publicados na tabela do site do CAU.

As formas de como receber esses pagamentos são sugeridas conforme o andamento dos trabalhos.

Veja a imagem abaixo de um a ilustração fornecida pelo site PINI; ela sugere valores de metro quadrado de projeto e ainda porcentagem sobre o curso da obra.

valores-servicos-arquitetura

A tabela também mostra valores para acompanhamento de obra e a forma de recebimento / pagamento pelos serviços de arquitetura prestados.

Sabemos que na prática os valores mudam um pouco de região para região e ainda de profissional para profissional, pois nem todos seguem os mínimos da tabela de preços estipulados.

Mas com essas informações você que está entrando para o mundo da arquitetura, já tem um norte para te orientar.

Como cobrar pelos serviços de arquitetura e designer de interiores

Agora vamos abordar o próximo assunto, como cobrar pelos serviços.

Para o profissional de arquitetura, no âmbito de projetos, há algumas opções para a forma como o profissional pode cobrar por um projeto de arquitetura.

O assunto como e quanto cobrar sempre é tido como delicado pelos colegas e eles meio que sempre “evitam” falar abertamente sobre o assunto, como se fosse crime ou pecado falar quanto se cobra, ou quanto se ganha.

Mas isso é mais uma coisa nossa, enraizada no subconsciente da cultura do nosso país, e um dos motivos talvez seja o histórico de desigualdade financeira em que vivemos.

Portanto, manter a discrição financeira nos causa menos desconforto.

O assunto como cobrar pode gerar alguma polêmica, levando também a algum tipo de constrangimento e por isso a grande maioria do colegas prefira não discutir o assunto de forma tão aberta.

Antes de mais nada, quando um cliente contrata um arquiteto o mais importante é que o profissional tenha o hábito de trabalhar com propostas comerciais ou contratos por escrito e devidamente assinados pelas partes.

Quando um cliente recebe o contrato ou a proposta comercial, nela constam o valor do serviços e como ele pode ser efetivamente cobrado pelo arquiteto.

Dessa forma o cliente já fica “pré-informado” das condições que deverão ser trabalhadas no desenvolvimento dos trabalhos.

É o famoso acordo comercial!

Sabemos que o mercado tem algumas formas para fazer essa cobrança pelos serviços de arquitetura.

E digo por experiência própria que muitas vezes o cliente tende a realizar o valor total acordado pelos serviços prestados durante a elaboração do projeto de forma diluída, ou seja, em parcelas, que podem muitas vezes ser de valor igual ou com um valor determinado para a inicialização dos trabalhos, (o popular sinal ou entrada) ficando o valor restante distribuídos de forma proporcional por etapa do projeto.

O projeto de arquitetura da edificação compreende as fases de Estudo Preliminar, Anteprojeto e/ou Projeto de Aprovação, Projeto de Execução e ainda a Assistência à Execução da Obra, se for o caso.

Veja o exemplo para cada fase do projeto de arquitetura:

Investimento

O investimento total para a elaboração dos projetos é de R$ 80,00/m², totalizando R$20,000,00. Em conformidade com a tabela de honorários do Conselho de Arquitetura e Urbanismo. O pagamento será de 20% no aceite e demais conforme a entrega de cada etapa.

O Estudo Preliminar: constitui a configuração inicial da solução arquitetônica proposta para a obra (partido), considerando as principais exigências contidas no programa de necessidades. Deve receber a aprovação preliminar do cliente.

O Anteprojeto constitui a configuração final da solução arquitetônica proposta para a obra, considerando todas as exigências contidas no programa de necessidades e o Estudo Preliminar aprovado pelo cliente. Deve receber a aprovação final do cliente.

O Projeto de Aprovação é uma sub-fase ao anteprojeto, desenvolvida conforme o caso anterior, concomitante ou posteriormente a ele. Constitui a configuração técnico-jurídica da solução arquitetônica proposta para a obra, considerando as exigências contidas no programa de necessidade, o Estudo preliminar ou Anteprojeto aprovado pelo cliente e as normas técnicas de apresentação e representação gráfica emanadas dos órgãos públicos (em especial, Prefeitura Municipal, concessionárias de serviços públicos e Corpo de Bombeiro).

Nos casos especiais em que não haja necessidade de aprovação do projeto pelos poderes públicos esta sub-fase deixa de existir.

O Projeto da Execução é o conjunto de documentos técnicos (memoriais, desenhos e especificações) necessários à licitação e/ou execução (construção, montagem, fabricação) da obra. Constitui a configuração desenvolvida e detalhada do Anteprojeto aprovado pelo cliente.

No caso do interesse do cliente em contratar os serviços de Assistência e Administração da execução da obra o profissional deve informar também o valor das taxas de administração na proposta e ou contrato (as que eu mencionei). Dessa forma fica informado e formalizado o valor total dos serviços a serem desenvolvidos, evitando problemas futuros de quaisquer naturezas.

E para projetos de interiores não é diferente, a sugestão é cobrar também pela etapa a ser desenvolvida:

O investimento total para a elaboração dos projetos é de R$ 80,00/m², totalizando R$20.000,00. Em conformidade com a tabela de honorários do Conselho de Arquitetura e Urbanismo. O pagamento será de 20% no aceite e demais conforme a entrega de cada etapa.

1ª. Etapa – ESTUDO PRELIMINAR : Estudos de Layout para ocupação dos ambientes. Referências para Composição e Linguagem Estética.

2ª. Etapa – IMAGENS 3D POR AMBIENTE: Apresentação de Maquete Eletrônica (3D) do Living, Suíte Master e Cozinha.

3ª. Etapa – PRÉ-PROJETO: Plantas baixas com layout e medidas; Indicação de mobiliário; Indicação das interferências de alvenarias / dry-wall; Planta simplificada de forro e de piso.

4ª. Etapa – EXECUTIVO: Caderno de Projetos detalhados para execução, constando: Projeto de Paginações de Piso e Revestimentos em geral; Projeto de Forro e Luminotécnica com detalhes para execução e especificação de luminárias; Projeto para Marcenaria e Mobiliários. Projeto de Pontos Elétricos. Especificações de Acabamentos e demais itens do projeto. Emissão de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) para liberação de obra pela Administração do Condomínio (se for o caso).

A proporcionalidade do valor de cada fase do trabalho você pode determinar conforme o volume dos serviços ou ainda seu fluxo ou necessidades financeiras.

8 Respostas

  1. João Vicente

    É de louvar o seu desempenho para fazer com que muitos agentes do e no ramo da arquitectura e não só possam dotar-se de muitos conhecimentos basicos importantes para exercer a profissão. Maravilha, que Deus te dea muita força para continuar sua missão.
    Obrigado.

Deixe um Comentário